Você sabia que é possível manter o plano de saúde da empresa após a demissão? Saiba como - Informações sobre finanças, guias e outras utilidades no Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Direito do trabalhador26/04/2018 | 04h00Atualizada em 27/04/2018 | 15h42

Você sabia que é possível manter o plano de saúde da empresa após a demissão? Saiba como

Poucos funcionários sabem, mas é possível continuar com a mesma cobertura médica, ainda que por tempo limitado, após uma demissão sem justa causa

Sabia que há casos em que o beneficiário de um plano coletivo empresarial que tenha sido demitido ou exonerado sem justa causa pode manter o mesmo plano de saúde que tinha como funcionário? É como uma prorrogação do benefício, então é por tempo limitado — e o ex-funcionário perde o direito se for contratado por outra empresa. 

Quem pediu demissão ou foi dispensado por justa causa não pode solicitar esse benefício.
Funciona assim: se o funcionário fazia parte de um plano contratado pela empresa para os empregados e contribuía mensalmente para o pagamento desse plano, independentemente do valor, ele tem direito a manter o benefício. Agora, se o empregador arcava integralmente com os custos da cobertura médica, mesmo que o trabalhador pagasse para os dependentes ou coparticipação ou franquia na utilização de serviços, não é possível solicitar a manutenção do plano após a demissão.

Ao demitir um empregado sem justa causa, a empresa deve informar a ele sobre o direito de prorrogar o plano. Sabendo disso, o ex-funcionário terá 30 dias para informar se quer ou não ficar no plano. O benefício deve ter as mesmas características assistenciais de antes da demissão, mantendo a rede assistencial, o padrão de acomodação em internação (individual ou enfermaria) e as coberturas, que deverão ser oferecidas nos mesmos municípios ou Estados.

Depois de ter sido demitido ou exonerado, o ex-funcionário poderá permanecer no plano da empresa por, no mínimo, seis meses e, no máximo, dois anos. Se optar por essa permanência, deverá assumir integralmente o pagamento. Confira como funciona a manutenção do plano de saúde para ex-empregados que foram demitidos sem justa causa:

Para manter o plano, o ex-empregado demitido ou exonerado precisa...

- ter sido beneficiário de plano coletivo decorrente de vínculo empregatício;

- ter contribuído com pelo menos parte do pagamento do plano de saúde;

- assumir o pagamento integral do benefício após a demissão;

- não ser admitido em novo emprego que possibilite o acesso a plano privado de assistência à saúde;

- formalizar a opção de manutenção no plano no prazo máximo de 30 dias, contados a partir da comunicação do empregador sobre o direito de manutenção do gozo do benefício.

Como pedir

- É dever da empresa informar o direito de manutenção no plano de saúde corporativo quando demitir um funcionário sem justa causa. 

- O trabalhador terá, então, 30 dias para informar se deseja ou não ficar no plano. 

- Quem não for comunicado do direito de permanência no plano de saúde pelo empregador deve procurar a área de Recursos Humanos da empresa e a operadora do plano para buscar informações sobre o direito.

Quanto tempo dura

- O ex-empregado poderá permanecer no plano da empresa por um período mínimo de seis meses e máximo de dois anos. 

- O cálculo exato leva em conta por quanto tempo houve pagamento do plano de saúde, e a duração será calculada pelo equivalente a 1/3 do tempo total de pagamento do plano.

Dependentes

- Todos os dependentes que estavam inscritos como beneficiários do plano durante a vigência do contrato de trabalho também têm direito a utilizá-lo, e com a mesma cobertura, se assim desejar o empregado demitido. 

- No caso de morte, os familiares continuam no plano pelo restante do tempo a que o beneficiário titular tinha direito.

Em que casos se perde o plano?

- Se o beneficiário for admitido em novo emprego que possibilite o ingresso em novo plano de saúde; 

- Quando terminarem os prazos de permanência no plano como demitido ou aposentado; 

- Se o ex-empregador cancelar o benefício do plano de saúde de todos os empregados e ex-empregados.

Dúvidas?

- Para mais informações e outros esclarecimentos, você pode entrar em contato com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), vinculada ao Ministério da Saúde, que é a agência reguladora responsável pelo setor de planos de saúde no Brasil.

- Disque ANS: 0800 701 9656. 

- Central de Atendimento: neste site.

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros