Álcool de cozinha pode ser usado para abastecer veículos? - Informações sobre finanças, guias e outras utilidades no Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Greve dos caminhoneiros29/05/2018 | 16h26Atualizada em 29/05/2018 | 16h26

Álcool de cozinha pode ser usado para abastecer veículos?

Especialistas indicam o que deve ser observado na hora de recorrer a esse produto como substituto da gasolina e do etanol vendido nos postos

Bruna Porciúncula
Bruna Porciúncula

 Em vez de correr para os postos de combustíveis, muitos consumidores estão buscando os supermercados para abastecer os carros. É que o álcool encontrado nos setores de limpeza pode ser utilizado para abastecer os veículos flex. Mas especialistas alertam para alguns cuidados na hora de recorrer a esse produto em situações de emergência.

Primeiro, é importante que esse álcool tenha acima de 90% de etanol. Essa é a medida mais recomendada para que se tenha eficiência semelhante ao do etanol distribuído nos postos. 
O professor do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Mario Martins explica que utilizar álcool com um percentual menor do que 90% não chega a acarretar prejuízos graves ao motor, mas pode ser uma grande perda de tempo. 

— Se pegar um álcool que contenha mais água (graduação abaixo de 90% de etanol), provavelmente o carro vai apagar e ficar na rua — explica.

Para os veículos movidos a gasolina e que não são flex, o álcool também pode ser uma opção emergencial, mas Martins alerta que, para se manter um mesmo desempenho, sem muitas falhas, o ideal é que no tanque tenha algo em torno de 80% de gasolina e o restante de etanol acima de 90%. A graduação menor do que essa, nesses casos, pode fazer com que a água se separe do etanol no tanque, causando falhas e problemas de arranque. Aí, o transtorno poderá ser maior: para retirar essa água do fundo do tanque será preciso buscar o auxílio de um mecânico — e o que seria uma saída fácil se tornaria um problema maior ainda.

Para os veículos a diesel, não se recomenda utilizar álcool como saída emergencial.

— A queima do diesel é bem diferente e seria necessária uma recalibração de todo o sistema do carro. Não se deve usar nesses casos. Talvez nem partida a pessoa consiga dar se abastecer com álcool um motor a diesel — alerta Martins.

O engenheiro mecânico Anderson Braun, professor da Universidade Feevale, recomenda que o uso do álcool de cozinha seja realmente feito como último recurso, muito em razão de esse produto não conter aditivos que vêm no etanol veicular e que servem para regular o motor de um modo geral. A longo prazo, aposta Braun, podem ocorrer prejuízos ao funcionamento do carro.

— O sistema de injeção eletrônica, que tem um sensor que mede a quantidade de álcool e gasolina, talvez não funcione tão bem, porque terá dificuldade de reconhecer o que está entrando no motor — avisa.

Cuidados com o álcool de cozinha no carro

Observe a graduação do produto. É preciso que tenha acima de 90% de etanol para um bom desempenho do veículo

Não se recomenda usar o álcool em veículos que são movidos a diesel. Dificilmente funcionarão e ainda será preciso remover o produto depois.

Na hora de comprar, não leve grandes quantidades, sob o risco de algum acidente.

Quando for manusear o álcool para abastecer o carro, faça isso em local arejado, sem qualquer fonte de ignição por perto, como cigarros.

Faça o abastecimento em um lugar com sombra e avalie a necessidade do uso de um funil para preencher o tanque.

Caso ocorra algum vazamento na hora de abastecer o tanque, limpe bem o local para evitar danos à pintura do carro.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros