Febraban dá dicas para quem quer pechinchar com eficiência - Informações sobre finanças, guias e outras utilidades no Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Seu bolso22/05/2018 | 17h28Atualizada em 22/05/2018 | 17h29

Febraban dá dicas para quem quer pechinchar com eficiência

Ter dinheiro na mão ou escolher produtos da vitrine podem ajudar a conseguir descontos

A crise econômica fez aumentar o hábito da pechincha da população. Mas, ainda, muita gente se sente inibida ou tem vergonha de pedir desconto. Se você se encaixa nesse grupo, aproveite as dicas do projeto Meu Bolso em Dia, iniciativa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). A prática pode levar a uma pechincha cada vez mais eficiente.

Dinheiro na mão
Nada melhor do que ter dinheiro vivo para comprar o produto à vista. Para o lojista, receber no cartão de crédito ou débito pode gerar um custo adicional de até 30% sobre o lucro. Seja firme e diga quanto você tem para fechar o negócio na hora, sem rodeios e sem burocracia. 

Cartão de débito
Se não tiver dinheiro vivo e vai pagar com o cartão de débito, também tem um bom argumento para pedir desconto. A taxa das administradoras é menor para o débito e o lojista irá receber o dinheiro em até dois dias após a venda.

Pesquise preços
Uma ótima ferramenta é fazer uma pesquisa antes de sair comprando. Acesse sites, leia folhetos e converse com vizinhos para ter uma ideia da média de valores cobrados por produtos idênticos ou similares.

Cara de paisagem
Mesmo que esteja louco pelo produto, demonstre indiferença quando quiser pechinchar. Não deixe o vendedor perceber que você está babando para sair da loja saltitante com a sua nova compra.

Procure peças de mostruário
Uma boa forma de conseguir descontos é escolher a peça da vitrine, mostruário, com rachaduras ou arranhões quase imperceptíveis. O vendedor terá mais liberdade de negociar com você nessas situações.

Peça brindes
Se o vendedor não estiver disposto a baixar o preço, pode ser que consiga lhe dar um acessório, um vale-brinde ou cupom de desconto para a próxima compra. Não custa perguntar.

Não decida na hora
Peça ao vendedor para anotar no papel a melhor oferta que ele consegue fazer e diga que, antes de decidir, precisa dar uma olhadinha nas outras lojas ou convencer o cônjuge, que está muito resistente.

Pronto para não comprar
Se nenhuma das alternativas fizer efeito, você pode escolher não comprar. Sair sem levar nada é um ótimo jeito de educar o vendedor a pensar bem antes de dizer "não" à próxima pechincha.

 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros