Novas regras para juros de cartão de crédito passam a valer na sexta-feira; veja o que muda - Informações sobre finanças, guias e outras utilidades no Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Fique atento!30/05/2018 | 15h15Atualizada em 30/05/2018 | 15h15

Novas regras para juros de cartão de crédito passam a valer na sexta-feira; veja o que muda

Até agora, cliente que pagava menos de 15% da fatura migrava para modelo de crédito com juros mais altos

Novas regras para a cobrança de juros no cartão de crédito entram em vigor nesta sexta-feira (1). As definições foram aprovadas no final de abril pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Agora, clientes que pagarem menos de 15% da fatura do cartão – caindo no chamado crédito rotativo não regular – pagarão menos juros. Mas atrasar o pagamento da fatura ou não quitar o total continua sendo um péssimo negócio.

O CMN regulamentou uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Até agora, quem pagava menos de 15% da fatura migrava para o crédito não regular, que cobrava juros mais altos. Quem pagava entre 15% e 100% entrava no rotativo regular, com taxas mais baixas. Nesta sexta-feira, será extinta essa diferenciação: haverá apenas um crédito rotativo.  

Os bancos poderão cobrar 2% de multa (sobre a dívida total) e 1% ao mês de juros de mora em caso de inadimplência. Até agora, os bancos cobravam a multa, os juros de mora e mais uma taxa punitiva de quem caía no crédito não regular. Mesmo assim, avalia Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira, o cartão segue um perigo para o bolso do consumidor.

– Essas medidas não devem diminuir a inadimplência, já que as parcelas mensais continuarão com juros altos, comprometendo o orçamento do consumidor – diz o especialista.

O que muda nas regras do cartão de crédito

Pagamento mínimo

Como é hoje – Há previsão de um pagamento mínimo, fixado em 15% do valor da fatura, que os clientes precisam quitar para não serem inadimplentes.
Como fica – Bancos poderão definir seu próprio percentual de pagamento mínimo. Poderá ser diferente para cada cliente.

Crédito rotativo e juros

Como é hoje – Quem não quita o total da fatura, mas paga o valor mínimo, entra no rotativo regular, com juros mais baixos. Quem paga menos do que o mínimo (ou não paga), entra no rotativo não regular, de juros mais altos.
Como fica – Instituições não poderão praticar taxas diferentes e terão que cobrar os juros do rotativo regular tanto para quem pagou o mínimo quanto para quem não pagou nada.

Mas, atenção: para os inadimplentes (que pagaram menos do que o mínimo ou não pagaram), as instituições poderão cobrar multa (2%, paga uma única vez) e juros de mora (limitado a 1% ao mês).

Crédito mais barato

Como é hoje – Os clientes só podem pagar o mínimo e usar o rotativo por um mês. No seguinte, são obrigados a pagar o total, não podem continuar pagando apenas o mínimo. No caso de quem não consegue quitar o total após entrar no rotativo, os bancos são obrigados a parcelar em uma linha de crédito diferente, com juros mais baixos.
Como fica – Isso segue sem alteração. 

Sete dicas para usar o cartão de crédito

1- Fazer um diagnóstico financeiro

Por mais que o valor dos juros tenham diminuído, eles continuam altos. Caso perca o controle financeiro e não consiga pagar a fatura total do cartão no vencimento, é preciso fazer, imediatamente, um diagnóstico financeiro e descobrir a verdadeira causa do problema.

2 - Adote o consumo consciente

Buscar uma linha de crédito com taxas de juros menores é válido, mas trocar uma dívida pela outra não é a solução. É preciso ter responsabilidade na hora de consumir. Sempre se pergunte se realmente precisa do item, se tem dinheiro para comprar e, também, se condições de pagar o valor total da fatura no vencimento.

3 - Faça a compra na melhor data

Se você tem apenas um ganho mensal, o ideal é ter apenas um cartão de crédito. Caso ganhe semanalmente, poderá ter até três cartões, para os dias 10, 20 e 30. Com isso, poderá comprar seis dias antes do vencimento de cada um deles, ganhando 36 dias para pagamento.

4- Limite não deve passar de 50% do salário

O limite do cartão de crédito não deve ultrapassar 50% do salário ou ganho mensal. Assim, evita-se gastar mais do que se recebe.

5 - Observe o comprometimento futuro

Ao fazer parcelas fixas, é preciso ter consciência de que se está comprometendo o orçamento mensal dos próximos meses. Portanto, é imprescindível controlar os gastos

6 - Evite anuidades e não empreste o cartão

Evite o pagamento de anuidade do cartão. Hoje, é possível encontrar cartões que não cobram nenhuma taxa de manutenção. Também nunca empreste o cartão de crédito à outra pessoa, mesmo que seja conhecida.

7 - Aproveite os benefícios

Uma forma educada financeiramente de utilizar o cartão de crédito é saber aproveitar os benefícios que ele pode oferecer, como prêmios e milhas.

Fontes: Banco Central e  einaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira  

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros