Veja como o dólar mais caro já impacta o seu dia a dia - Informações sobre finanças, guias e outras utilidades no Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Em alta22/08/2018 | 17h24

Veja como o dólar mais caro já impacta o seu dia a dia

Valorização da moeda americana influencia no valor de pães, bolos, macarrão, entre outros


 PORTOALEGRE-RS-BR 18.05.2018Oscilação no mercado financeiro faz o preço do dólar subir.FOTÓGRAFO: TADEU VILANI AGÊNCIARBS
Alta no ano chega a 16,5%Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Seja no planejamento da viagem para o Exterior, nos investimentos pessoais, na compra de produtos importados, a alta do dólar de 8,02% na cotação neste mês já começa a ser percebida. Veja algumas situações em que a turbulência no mercado de câmbio impacta diretamente a sua vida. 

Leia mais
Por que o dólar a R$ 4 de hoje não é igual àquele de 2002
Dólar está mais volátil do que nas últimas três eleições, mostra Anbima
Saiba como driblar os efeitos da alta do dólar no dia a dia

Alimentos e combustíveis

Algumas matérias-primas respondem rapidamente à alta do câmbio, como o petróleo. O efeito seria nos preços de combustíveis vendidos pela Petrobras, repassados pelos postos. Situação semelhante ocorre com soja, café e trigo, commodities com cotação no mercado internacional. No caso do trigo, por exemplo, a valorização da moeda americana influencia no valor de pães, bolos, macarrão, entre outros.

Produtos nacionais

A valorização do dólar tem impacto direto na importação de insumos utilizados pela indústria brasileira. Com isso, pode haver correção de preços de roupas, eletroeletrônicos e eletrodomésticos. Por outro lado, como os contratos de importação entre varejistas ou indústrias com seus fornecedores costumam contemplar um período mais longo, a tendência é de que só haja uma disseminação na economia brasileira caso o dólar permaneça nas alturas por um prazo mais longo.

Investimentos pessoais 

A taxa diária do Certificado de Depósito Interbancário (CDI) já avançou no mercado futuro, o que amplia a rentabilidade dos fundos DI. Essa situação pressiona o Banco Central a elevar a taxa Selic, mas a instituição dá prioridade ao comportamento da inflação. Quem investe em fundos cambiais ou compra dólar como investimento ganha dinheiro, caso a cotação se mantenha em alta.


Viagens internacionais

A valorização da moeda americana impacta nos preços de passagens e nos hotéis. Quem pretende comprar um bilhete de US$ 1 mil, e gastaria R$ 3.460 se tivesse comprado em janeiro deste ano, agora terá de pagar R$ 4.030.


Compra de moeda estrangeira 

Adquirir dólar ou euro para gastar durante uma viagem também fica bem mais caro. Nesses casos, vale a cotação turismo, sempre mais alta do que a comercial. Ontem, o dólar turismo custava na faixa de R$ 4,28 e o euro turismo, R$ 4,72, nas casas de câmbio de Porto Alegre. Quem usa o cartão de crédito no Exterior tem de esperar até o fechamento da fatura para saber qual cotação realmente irá pagar: quando a trajetória é de alta, cresce o risco de a conta ficar (bem) mais cara.  

Fonte: Pablo Spyer, diretor de Operações da Mirae Asset, Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros