"Chamaram nosso representante de pessimista", diz morador do bairro Sarandi após nova enchente no bairro - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Tragédia anunciada11/11/2013 | 14h40

"Chamaram nosso representante de pessimista", diz morador do bairro Sarandi após nova enchente no bairro

Reunião na sexta-feira com o DEP havia alertado autoridades sobre risco de temporal nesta segunda

"Chamaram nosso representante de pessimista", diz morador do bairro Sarandi após nova enchente no bairro Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Moradores com água nas canelas saem de casa na Vila Elizabeth Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Além da vila Asa Branca, no bairro Sarandi, zona norte de Porto Alegre, a vila Elizabeth sofre com mais uma enxurrada em pouco mais de dois meses. Moradores que perderam boa parte dos móveis de suas casas em 31 de agosto após o rompimento de um dique voltaram a empilhar camas e colchões na manhã desta segunda-feira.

Leia mais:
> "Vamos conviver com enchentes até 2016, pelo menos"
> Moradores da Vila Amazônia contabilizam mais prejuízos na enxurrada

> Risco de proliferação de leptospirose é alto, alerta Vigilância

A principal reclamação diz respeito a uma reunião que houve entre representantes do bairro com o Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) ainda na sexta-feira. Segundo o comerciante Gilmar Pimentel Andrade, o órgão foi alertado sobre a previsão de chuva intensa na Capital para hoje:

— Chamaram nosso representante de pessimista. Era uma tragédia anunciada.



Andrade pretende reativar a Associação de Moradores do Sarandi para cobrar da prefeitura as promessas feitas de melhorar a situação na região. Conforme ele, os valões seguem entupidos e ninguém apareceu para limpá-los.

— Teve gente que mal pagou a mobília da outra enchente e perdeu tudo de novo. Somente eu perdi R$ 10 mil em tecido da outra vez — lamenta.



Morador da Avenida Alcides Maia, o analista de infraestrutura Antônio de Souza Pereira está desde as primeiras horas da manhã contendo a entrada da água nos cômodos de sua casa. Na sala, já está na altura do calcanhar:

— O jeito é tentar conter com panos embaixo das portas. Na outra chuvarada, a água subiu mais rápido.

Acompanhe a situação pelo Ao vivo

ZERO HORA

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros