Saiba por que ter um vizinho legal faz bem ao coração - Notícias

Versão mobile

 
 

Comportamento26/08/2014 | 07h03

Saiba por que ter um vizinho legal faz bem ao coração

Você convive bem com quem mora próximo à sua casa? Estudo recém-divulgado mostra que boas relações com o vizinho reduzem o risco de ataque cardíaco

Saiba por que ter um vizinho legal faz bem ao coração Mateus Bruxel/Agencia RBS
As vizinhas Marcia Marcelo Mello Cruz e Leila Gussi na rua, em frente de suas casas, no bairro Bom Jesus, em Porto Alegre Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS


Muito mais do que uma conversa banal no muro de casa e da eventual troca de favores, a boa relação entre vizinhos faz bem ao coração. A curiosidade foi revelada por um estudo do departamento de Psicologia da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, que aponta que boas relações com a comunidade reduzem o risco de ataque cardíaco em pessoas com mais de 50 anos.
Moradoras da Rua Doutor Murtinho, no Bairro Bom Jesus, em Porto Alegre, a dona de casa Márcia Marcelo Mello Cruz, 43 anos e a representante comercial aposentada Leila Gussi, 63 anos, vivem uma em frente a casa da outra e diariamente esticam o papo enquanto varrem suas calçadas. Falam sobre o clima, dos problemas da rua ou do noticiário. O hábito parece corriqueiro mas é indissociável de suas rotinas. Tão apegada a quem vive por perto, Márcia não se imagina sem esta convivência.
– Imagina ficar isolada? Não tem como não ter quem cumprimentar de manhã. Todos os dias, tenho todos os meus vizinhos para cumprimentar _ comenta Márcia, aos risos.
– Se eu vou varrer a calçada, ao invés de uma, levo duas horas porque paro para conversar com todo mundo que passa. A vizinhança aqui é muito boa. É uma maravilha – comemora Leila.

"Um toma conta do outro"

Elas garantem que uma não invade a privacidade da outra mas, sempre que preciso, ficam atentas ao que acontece na casa da frente.
– Se ela sai ou vai viajar, dou uma olhada na casa. Um toma conta do ouro – lembra Márcia.
É este sentimento de bem estar com o outro que favorece a saúde vascular. O cardiologista Domingos Vitola, do Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul, explica que todas as pessoas que tem uma vida mais confortável conseguem controlar melhor a sua pressão arterial.
– A pesquisa mostra claramente uma redução de infartos porque eles estão relacionados ao período em que as pessoas estão passando por stress e emoção. Se a pessoa vive de forma prazerosa, é muito mais tranquila, o que é muito melhor pra saúde dela.
Isso porque o bem estar libera endorfina, diferente da adrenalina que está relacionada ao stress e a sobrecarrega do sistema cardiovascular.
– Sempre digo aos meus pacientes: não arrume confusão além das normais da vida. Morar num lugar bom, ter um nível de trabalha adequado, todas essas coisas contribuem para aumentar a expectativa e a qualidade de vida.

Entenda a pesquisa

Pesquisadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos monitoraram por quatro anos 5.276 participantes acima de 50 anos que nunca tinham tido um ataque do coração. A maioria dos pesquisas eram mulheres casadas com idade média de 70 anos. Os voluntários foram convidados a classificar, numa escala de 0 a 7, se seus vizinhos eram confiáveis e amigos. Os participantes também tiveram que responder se se sentiam conectados à comunidade. O estudo mostrou que todas as marcas de boa relação social da vizinhança na escala levaram a uma redução de 17% na possibilidade de doenças cardíacas. Aqueles que deram nota 7 ao vizinho tiveram uma redução de risco de 67%.

Mas não se esqueça...

Além de ter uma relação amigável com as pessoas a sua volta, hábitos de vida saudável são essenciais para evitar doenças do coração. Veja as dicas do cardiologista do Domingos Vitola:
- Mantenha o controle da pressão arterial, nível de gordura do sangue e a diabetes.
- Evite o tabagismo.
- Fique atento ao consumo de sal, álcool, gordura e não exagere no carboidrato.
- Faça exercícios regularmente.

Leia outras notícias do dia

Diário Gaúcho

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros