Novidade na academia! Saiba o que é liberação miofascial - Notícias

Versão mobile

 
 

Sua Saúde24/08/2015 | 15h22

Novidade na academia! Saiba o que é liberação miofascial

Saiba como usar a novidade para fazer o seu treino ficar ainda melhor

Novidade na academia! Saiba o que é liberação miofascial Divulgação/Divulgação
Foto: Divulgação / Divulgação

Tem novidade nas academias. Você já ouviu falar de liberação miofascial?! É um método de aplicação de pressão em alguns pontos do corpo, para liberar a fáscia e dar maior liberdade entre o músculo e a própria fáscia, que é uma lâmina de tecido extremamente resistente e elástica.

Ela recobre todos os músculos do corpo, logo abaixo da pele, e permite o deslizamento perfeito dos músculos durante os exercícios. 

Oito perguntas e respostas sobre o absorvente interno

Oito dicas para ficar de bem com a balança após a gravidez

Leia outras notícias do dia

Especializado neste trabalho e em treinamento funcional, o professor Davi Grass, das academias Espaço Via Corpus e Fitness Hall, ambas na Capital, e presidente da Associação dos Grupos de Corrida do RS, explica que a própria pessoa pode fazer a sua liberação, chamada de autoliberação miofascial.

É possível fazer isto com materiais como rolos, bastões e bolinhas (parecidas com as usadas para jogar tênis, são encontradas em pet shops).

Leia outras notícias sobre Sua Vida

Veja alguns exemplos de autoliberações que podem ser feitas em casa:

 
Foto: Divulgação

Como todos os exercícios, a liberação miofascial deve seguir progressões. Considere pressão e densidade para avançar na prescrição. Por exemplo, uma massagem com rolo de espuma será menos intensa do que uma bolinha de densidade dura.

Vale lembrar que, além da liberação miofascial, é preciso praticar o treinamento integrado, que valorize o movimento, e não somente os músculos. A duração da técnica vai depender do tecido trabalhado e da necessidade daquela musculatura. Normalmente, fica de 30 segundos a dois minutos em cada posição.

Benefícios da liberação miofascial

- Maior mobilidade e amplitude de movimento.
- Redução de tecido cicatrizado e adesões.
- Diminuição do tônus dos músculos hiperativos.
- Melhoria da qualidade de movimento.

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros