Giane Guerra: endividamento das famílias gaúchas é o pior em quatro anos - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Acerto de Contas03/05/2016 | 08h08Atualizada em 03/05/2016 | 08h16

Giane Guerra: endividamento das famílias gaúchas é o pior em quatro anos

Colunista de Economia do Diário Gaúcho também comenta o aumento do preço do leite e as demissões no Estado

Números preocupantes

Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

A Região Metropolitana de Porto Alegre está com 198 mil desempregados. Resultado pior na pesquisa da Fundação de Economia e Estatística, só em março de 2009.

Endividamento das famílias gaúchas alcançou em abril o índice de 70,4%. É o pior em quatro anos. A Fecomércio-RS alerta para o endividamento involuntário, aquele não planejado. Muitas vezes, por não terem condições de efetuar o pagamento de suas despesas correntes, as famílias têm que se endividar. Não necessariamente por empréstimos, mas por uso do cheque especial ou do não pagamento de faturas de cartão de crédito.

Leia as últimas notícias do dia

Desemprego bate à porta
Três empresas e 900 demitidos. E em setores diferentes da economia gaúcha. Preocupa porque mostra o quanto a crise está disseminada. Quando a empresa demite centenas de trabalhadores é porque não tem a menor previsão de retomada nos negócios. Afinal, demitir e recontratar sai muito caro.

A pergunta dos sindicatos de trabalhadores agora é: onde recolocar esse povo todo? As contratações estão travadas. Até empresas que estão com um bom caixa querem ver o rumo da política do país antes de fazer investimento.

Até lá, o negócio é manter o emprego. E que a chamada "roda da economia" volte a girar em breve.

Leia mais
Veja como economizar na hora do almoço no intervalo do trabalho
Demissões de chefes de família quase dobram em um ano na Grande Porto Alegre

Uma boa notícia
Por outro lado, a boa notícia vem do setor de supermercados: o Asun comprou cinco das 14 lojas que foram fechadas recentemente pelo Walmart. Diretor da rede, Antonio Ortiz Romacho quer abrir estas lojas em 60 dias. Serão oferecidas 450 vagas para estas cinco lojas. Informe-se no Sine dos municípios. 

Leia outras colunas da Giane Guerra

Pergunta do leitor

Julio Cesar: "Saí há dois meses da empresa onde trabalhava. Poderiam me recontratar?"

A advogada trabalhista Sonilde Lazzarin responde: se o empregado possuía contrato por prazo indeterminado, após a extinção deste, poderá ser novamente contratado, mas não como contrato de experiência na mesma função. Ou seja, poderá ser contratado como prazo indeterminado desde o início do novo contrato. Havendo redução de salário e/ou vantagens em relação ao contrato anterior, poderá ser questionada a validade.

Já no caso de ser o contrato anterior estipulado por prazo determinado, a nova contratação somente ocorre após seis meses. Salvo se a expiração do contrato dependeu da execução de serviços especializados ou da realização de certos acontecimentos.

900% de juro! Socorro!
Empréstimo rápido, sem burocracia e¿ caríssimo! Estes são os chamados "empréstimos para negativados". Pesquisa do SPC Brasil mostra que um em cada dez inadimplentes já tomou um empréstimo para negativado. São financeiras que emprestam dinheiro para quem tem o nome sujo, ou seja, em cadastros de inadimplentes.

Em geral, as pessoas buscam estes empréstimos para quitar dívidas atrasadas. Só que são créditos caríssimos.

– As taxas de juros nesta modalidade costumam estar entre as mais altas praticadas no mercado, ultrapassando 900% ao ano – informa a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

É o dobro do rotativo do cartão de crédito! 

O negócio é se virar 

A crise aumentou os bicos em busca de renda extra, e as estatísticas mostram também outro efeito: o aumento do trabalho por conta própria.Atualmente, a Região Metropolitana de Porto Alegre tem 380 mil trabalhadores neste formato. 

A estimativa é do IBGE e aponta para um aumento de quase 10% em relação ao ano passado. Ou seja, 33 mil pessoas a mais trabalhando sem vínculo de emprego.Com este aumento, os trabalhadores por conta própria passam a representar quase 20% da mão de obra da região. 

Leite caro

Foto: Photo Rack / Divulgação

Provavelmente, você já sentiu que o leite está mais caro. Quase 10% nos últimos 30 dias. Em média! Porque há locais em que o aumento foi mais forte. Tem supermercado falando em aumento de 20% no leite longa vida. "O período de entressafra e o alto custo de produção vêm reduzindo a oferta e elevando o preço do leite, o que também influencia o valor dos derivados", informa análise do Cepea-USP.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros