Empresa oferece até R$ 2 mil para colar propagandas em carros particulares - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Oportunidade07/06/2016 | 11h59

Empresa oferece até R$ 2 mil para colar propagandas em carros particulares

Start-up segue modelo norte-americano de publicidade em veículos

Empresa oferece até R$ 2 mil para colar propagandas em carros particulares Divulgação/
Foto: Divulgação

Uma nova forma de publicidade e a chance de faturar até R$ 2 mil por mês é o que promete uma empresa que inicia operação no Brasil em 2016. A ideia é transformar carros particulares em outdoors ambulantes. O motorista, fazendo seus itinerários rotineiros, ganha por quilômetro rodado e, em contrapartida, faz propaganda para a marca estampada na lataria.

Ainda não há previsão exata para o início do negócio da empresa Carlicity, uma startup que pretende atuar em todos os estados brasileiros. No entanto, o fundador da companhia, Pedro Borges, é otimista.

— Queremos ter os primeiros contratos fechados até o final do ano nas principais capitais — diz.

Leia mais
"Muita gente acha que deficiente não é capaz ", diz motorista surdo do Uber após relato de passageiro viralizar no Facebook
Por que os jovens são os mais afetados pelo desemprego. Saiba o que fazer para não desanimar


Borges acredita que, até o final do ano, 500 mil motoristas estarão cadastrados. Os interessados em participar precisam informar o modelo e a cor do carro, além de registrar as principais rotas diárias. Pode ser levar o filho ao colégio, ir ao supermercado ou ao trabalho. O importante, nesse caso, é rodar e ser visto.

Ganho
Os contratos entre anunciantes e motoristas podem ter qualquer duração. A empresa responsável destaca que a média do compromisso é de dois a três meses. No entanto, nada impede que o período seja superior ou inferior, de um dia por exemplo. O motorista receberá R$ 1,50 por quilômetro rodado.

Leia mais notícias do dia

Para acompanhar o trajeto e a quilometragem, um aparelho de GPS será instalado no carro. O motorista não terá despesas para a colocação dos adesivos. O cadastro dos veículos pode ser feito no site da empresa. O modelo é inspirado em uma empresa americana que atua na cidade norte-americana da Filadélfia.

Lei
De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) afirmam que não há irregularidade nesse tipo de ação. No entanto, a adesivagem não pode ultrapassar 50% da lataria, o que pode configurar mudança de característica original do veículo. A multa, em casos em que o índice é ultrapassado é de R$ 127, 69, infração grave, cinco pontos na CNH e retenção do automóvel até a regularização.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros