Voluntária ensina a confeccionar perucas para depois doá-las - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Caminho do Bem29/06/2016 | 08h00Atualizada em 29/06/2016 | 09h32

Voluntária ensina a confeccionar perucas para depois doá-las

Conheça Rosemary Manomics, 75 anos, que dá aulas a mulheres em Canoas. Perucas serão doadas à Liga de Combate ao Câncer

Voluntária ensina a confeccionar perucas para depois doá-las Mateus Bruxel/Agencia RBS
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Dos gestos minuciosos e pacientes de Rosemary Manomics, 75 anos, de Canoas, estão surgindo peças capazes de levarem sorrisos a mulheres que estão enfrentando o câncer. Desde março deste ano, a fabricante de perucas ensina o próprio dom a 30 moradoras da cidade. As aulas ocorrem gratuitamente na Casa Lilás Canoas, três vezes por semana.

Apesar de confeccionar as peças com as próprias mãos e comercializá-las há quase 50 anos, Rosemary tornou-se professora pela primeira vez a partir do convite da idealizadora do projeto, Ângela Calixto. E sempre se emociona, marejando os olhos e suavizando o tom da voz, quando fala da tarefa.

Leia mais
Confira todas as histórias do Caminho do Bem
Estudantes da Restinga criam grupo de contação de histórias
Amigo do meio ambiente: comerciante transforma lixões irregulares em praças
Taxista distribui comida para moradores de rua de Porto Alegre 

Assim como as próprias aprendizes, Rosemary está em processo de recomeço: neste ano, ingressou na universidade, onde cursa Inglês. A novidade veio depois de concluir em 2015 os ensinos fundamental e médio e ainda passar no Enem.

Como as alunas são iniciantes, o trabalho exige ainda mais atenção no momento de tecer os fios de cabelos naturais nas linhas. Professora Rose, como é carinhosamente chamada pelas aprendizes, vai de mesa em mesa explicando cada detalhe que fará a diferença quando os tufos de cabelos forem costurados no tecido para formarem a peruca.

Pelos cálculos do projeto, as primeiras peças da turma deverão ficar prontas daqui a três meses. Mas o trabalho já dá resultados para quem decidiu frequentar as aulas e, principalmente, para Rosemary, que abraçou o projeto como meta de vida.

Dom
"Faço perucas há 49 anos, mas nunca tive a chance de ensinar alguém a fazer o mesmo. O convite da Ângela surgiu no ano passado. Porém, só consegui me dedicar a partir de março deste ano. E tem sido maravilhoso. Eu não podia ficar sem passar este dom adiante. Comecei com 15 alunas. Hoje, estou com 30."

Processo
"Elas estão aprendendo bem direitinho. Para fazer uma peruca são necessários 5m20cm de cabelo natural. Primeiro, precisa tecer fio a fio. Depois, fazer os tufos. Em seguida, costurar um a um na touca de tecido. É um processo de construção que parece simples, mas não é."

Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Terapia
"É a melhor terapia, pois sem paciência a peruca não sai. A pessoa fica ali, observando e trabalhando sozinha, em silêncio. O melhor é quando entregamos a quem irá usá-la, pois nos dá uma grande felicidade. Sempre imagino o sorriso da pessoa na minha frente. A terapia se completa."

Bem
"Adoro ajudar as pessoas. Acredito mesmo que a gente não veio ao mundo a passeio. Temos que fazer o bem para quando sairmos dele estarmos quites. Este trabalho significa a minha vida. Espero que elas continuem com a trajetória, continuando o mesmo gesto que estou fazendo."

Saiba mais
* O curso tem parcerias com salões de beleza da região e aceita doações de cabelos.
* As perucas serão doadas para a Liga de Combate ao Câncer.
* A Casa Lilás Canoas oferece a mulheres cursos profissionalizantes gratuitos: manicure, maquiagem, culinária, Libras e administração.
* As inscrições podem ser feitas no local: Avenida Boqueirão, 1985.
* O telefone para informações é 3463-5794.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros