Cuidado com o endividamento involuntário - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Acerto de contas13/09/2016 | 08h14Atualizada em 13/09/2016 | 08h14

Cuidado com o endividamento involuntário

Ele vem com o atraso das contas básicas, como luz, água e condomínio

Cuidado com o endividamento involuntário Sxc/Divulgação
Foto: Sxc / Divulgação

Um tipo de endividamento que preocupa bastante: o involuntário. São contas básicas, como luz, água e condomínio. Despesas que são fixas. Até podem ser reduzidas, mas a pessoa não tem como optar em não ter estas contas. Há profissionais de finanças quem nem consideram estas despesas básicas como dívidas. 

Mas tornam-se dívidas a partir do momento em que não são pagas. Por menor que seja o juro, compromete parte importante do orçamento da família. Sem falar do impacto emocional e na qualidade de vida da pessoa ter, por exemplo, a luz cortada por falta de pagamento. E as contas básica têm subido. Ao longo de 2015, foram aumentos fortes na energia elétrica e combustíveis.

Leia outras colunas da Giane Guerra

Pesquisa da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV) mostra que este comprometimento maior da renda com despesas básicas "impediu" o consumidor de fazer algo que gostava. Para conseguir equilibrar as contas no final do mês, 87,5% dos gaúchos apertam o cinto nas despesas com lazer. 

– Isso inclui idas ao cinema, restaurantes, viagens, shows, teatro... – explica o presidente da AGV, Vilson Noer.

Já 37,5% diminuíram as compras no supermercado. Outros 34,4% cortaram na conta do celular. Também foram apontados na lista de enxugamento de gastos: rancho, luz, transporte e tevê a cabo. 

Mas será que as famílias mudaram?

Perguntaram para a coluna, dia desses, se as famílias sairão da crise mais "educadas financeiramente". Difícil dizer. O consumo de luz, por exemplo, voltou a subir aqui no Sul. Então, "já era" a economia que as pessoas fizeram para absorver o aumento forte no ano passado? Será que o gaúcho se acostumou com o valor alto da conta de luz?

Leia mais
Saiba qual será a bandeira tarifária de setembro e se você vai pagar valor adicional na conta de luz
Recebeu adiantamento do 13º salário? Veja 5 dicas para utilizar a grana

A coluna pediu que a AGV incluísse essa pergunta na pesquisa e 88,9% dos entrevistados disseram que estão mais educados financeiramente. Mas 47,1% adquiriram dívidas em 2016 com bancos e/ou financiamentos, 35,3% com cartão de crédito e 17,6% com cartão de lojas.

Falando em dívidas...

Os advogados estavam alertando que poderia ocorrer, e a Justiça de São Paulo teve uma decisão inédita no País em que mandou apreender a carteira de motorista e o passaporte de um devedor. A pessoa deve R$ 253 mil para uma empresa.

O argumento é que, se a pessoa não consegue pagar a dívida, não pode manter um carro ou viajar para o Exterior. Os documentos estão apreendidos até quitar a dívida.

Uma mudança no Código de Processo Civil abriu essa possibilidade em março. Várias ações estão pedindo medidas assim contra devedores. Há casos solicitando que a pessoa não possa nem fazer concurso público.

Mas as entidades de defesa do consumidor já gritam contra. A ProTeste, por exemplo, diz que restringir direitos desta forma vai contra a Constituição Federal, que é a lei maior no País.  


 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • nbru_

    nbru_

    Bruna AlvesComprei o diário gaúcho só por causa do poster do grêmio 🇧🇼💙há 6 minutosRetweet
  • DANIELMATADOR9

    DANIELMATADOR9

    DANIEL MATADOR@RealDuva @diario_gaucho Desculpa.há 1 horaRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros