Cuidado com o endividamento involuntário - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Acerto de contas13/09/2016 | 08h14Atualizada em 13/09/2016 | 08h14

Cuidado com o endividamento involuntário

Ele vem com o atraso das contas básicas, como luz, água e condomínio

Cuidado com o endividamento involuntário Sxc/Divulgação
Foto: Sxc / Divulgação

Um tipo de endividamento que preocupa bastante: o involuntário. São contas básicas, como luz, água e condomínio. Despesas que são fixas. Até podem ser reduzidas, mas a pessoa não tem como optar em não ter estas contas. Há profissionais de finanças quem nem consideram estas despesas básicas como dívidas. 

Mas tornam-se dívidas a partir do momento em que não são pagas. Por menor que seja o juro, compromete parte importante do orçamento da família. Sem falar do impacto emocional e na qualidade de vida da pessoa ter, por exemplo, a luz cortada por falta de pagamento. E as contas básica têm subido. Ao longo de 2015, foram aumentos fortes na energia elétrica e combustíveis.

Leia outras colunas da Giane Guerra

Pesquisa da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV) mostra que este comprometimento maior da renda com despesas básicas "impediu" o consumidor de fazer algo que gostava. Para conseguir equilibrar as contas no final do mês, 87,5% dos gaúchos apertam o cinto nas despesas com lazer. 

– Isso inclui idas ao cinema, restaurantes, viagens, shows, teatro... – explica o presidente da AGV, Vilson Noer.

Já 37,5% diminuíram as compras no supermercado. Outros 34,4% cortaram na conta do celular. Também foram apontados na lista de enxugamento de gastos: rancho, luz, transporte e tevê a cabo. 

Mas será que as famílias mudaram?

Perguntaram para a coluna, dia desses, se as famílias sairão da crise mais "educadas financeiramente". Difícil dizer. O consumo de luz, por exemplo, voltou a subir aqui no Sul. Então, "já era" a economia que as pessoas fizeram para absorver o aumento forte no ano passado? Será que o gaúcho se acostumou com o valor alto da conta de luz?

Leia mais
Saiba qual será a bandeira tarifária de setembro e se você vai pagar valor adicional na conta de luz
Recebeu adiantamento do 13º salário? Veja 5 dicas para utilizar a grana

A coluna pediu que a AGV incluísse essa pergunta na pesquisa e 88,9% dos entrevistados disseram que estão mais educados financeiramente. Mas 47,1% adquiriram dívidas em 2016 com bancos e/ou financiamentos, 35,3% com cartão de crédito e 17,6% com cartão de lojas.

Falando em dívidas...

Os advogados estavam alertando que poderia ocorrer, e a Justiça de São Paulo teve uma decisão inédita no País em que mandou apreender a carteira de motorista e o passaporte de um devedor. A pessoa deve R$ 253 mil para uma empresa.

O argumento é que, se a pessoa não consegue pagar a dívida, não pode manter um carro ou viajar para o Exterior. Os documentos estão apreendidos até quitar a dívida.

Uma mudança no Código de Processo Civil abriu essa possibilidade em março. Várias ações estão pedindo medidas assim contra devedores. Há casos solicitando que a pessoa não possa nem fazer concurso público.

Mas as entidades de defesa do consumidor já gritam contra. A ProTeste, por exemplo, diz que restringir direitos desta forma vai contra a Constituição Federal, que é a lei maior no País.  


 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • Bibii_brm7

    Bibii_brm7

    BiancaRT @ou_antonio: Em 5 dias, em 2 capas, o Diário Gaúcho resumiu o ano perfeito para nós gremistas https://t.co/AlFaJPCbithá 47 minutosRetweet
  • SouDiabolico

    SouDiabolico

    Eden HazardMinha fase está tão critica que eu estou pensando em seriamente me inscrever no Clube Dos Corações Solitários do Diario Gauchohá 55 minutosRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros