Manoel Soares relata rotina de violência nas últimas semanas - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Papo Reto10/09/2016 | 09h01Atualizada em 10/09/2016 | 10h57

Manoel Soares relata rotina de violência nas últimas semanas

Colunista do Diário Gaúcho destaca o desespero de mães que esperam a volta dos filhos para casa 

Manoel Soares relata rotina de violência nas últimas semanas  /
Foto: /

Rajadas de tiros na minha janela, mulheres gritando e cachorros latindo. Essa tem sido a trilha da minha noite nas últimas semanas.

As pessoas simplesmente desaparecem. Mães que encontro na rua me contam que há 12 dias o filho não volta para casa. Me lembro daquele filme que ensinou aos meninos que queriam ser bandidos: se não há corpo, não há crime.

Depois de um tempo, elas andam com passos arrastados e olhos fundos. Param de me pedir ajuda. É como se, no íntimo, soubessem que o seu menino não somente se foi para sempre, como foi negado a elas o direito de enterrá-lo. 

Leia outras colunas do Manoel Soares

Pela segurança dos demais membros da família, engolem o choro e não clamam por justiça. Nem a penal, muito menos a social. Ambas estão enterradas, apodrecendo com seus filhos em um lugar desconhecido. 

Lágrima

Mas é bom lembrar que, no desconhecido lugar no qual seus meninos estão, há muitas vagas. Então, que somente se ouça o som da lágrima, que abre avenida no rosto enrugado pela dor da espera sem esperança. 

Depois das rajadas, um silêncio aguça a minha curiosidade em entender os bastidores dos disparos. Mas vasculho minha mente em busca do sono. Afinal, amanhã, tenho que trabalhar.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros