Conheça a professora de balé que criou projeto social de dança em Alegrete - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Caminho do Bem05/10/2016 | 07h02Atualizada em 05/10/2016 | 07h02

Conheça a professora de balé que criou projeto social de dança em Alegrete

Jacqueline Zacarias Silveira fundou o projeto Primeiros Passos há 20 anos, em Alegrete

Conheça a professora de balé que criou projeto social de dança em Alegrete Mateus Bruxel/Agencia RBS
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

A emoção escapa entre os olhares aparentemente sisudos da professora de educação física e bailarina Jacqueline Zacarias Silveira, 52 anos, de Alegrete, quando um novo aluno arrisca os primeiros passos de dança no tablado da Escola de Dança Ballerina, fundada por ela. Em meio à concentração necessária para exigir refinamento na apresentação, ela chega a esboçar um sorriso. E tem motivo: a concretização do desejo de Jacqueline, embalado desde a infância, de tornar o balé um motivador de novas vidas.

Envolvida com a dança há quatro décadas, a falante professora criou o projeto Primeiros Passos em 1996 para atender crianças de baixa renda da região. Os primeiros 113 alunos tinham uma aula por semana, numa sala doada para a atividade. Mas o desenvolvimento das crianças fez o projeto ser abraçado pela prefeitura, a partir de 2004.


Leia mais
Conheça outras histórias do Caminho do Bem
Andarilha do Bem: conheça a mulher que já viajou mais de 100 mil quilômetros para ajudar aos outros
Brinquedos encontrados no lixo ganharão nova vida e serão distribuídos no Natal


Hoje, são 350 alunos espalhados pelas escolas públicas do município e no lar transitório. As formandas da escola de balé, juntamente com Jacqueline, são as monitoras das crianças, que ganham o uniforme e ainda os figurinos nas apresentações de final de ano. Aos sábados, um grupo de 50 crianças, com idades entre sete e 14 anos, ainda recebe aulas gratuitas na própria instituição. Outra iniciativa é criar o mesmo projeto em Porto Alegre, onde a filha de Jacqueline a bailarina Camila Silveira Vicenti, 31 anos, mantém uma filial da escola na Zona Norte.

Dois alunos que estão no projeto estão sendo analisados por olheiros para participarem de um dos maiores eventos de dança do mundo, o concurso Internacional Opus Ballet, em Firenze, na Itália. Descoberta por Jacqueline no Primeiros Passos, a aspirante a bailarina Dandara Amorim Veiga, 19 anos, estuda desde agosto numa das mais tradicionais escolas de balé, em Nova York (EUA). O que antes era um possível caminho plantado por Jacqueline começou a dar os frutos.

Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Início
"Quando era aluna de balé, realizava apresentações gratuitas nos bairros mais carentes da cidade. Sempre me questionava se aquilo satisfazia quem estava assistindo. Deixávamos as crianças com brilho nos olhos e com a vontade de fazerem parte, mas elas só nos viam. Então, passei a querer que o bairro, mais do que assistir, também dançasse a nossa coreografia. Assim, surgiu o Primeiros Passos."

Oportunidade
"Só a elite dançava na cidade, e eu sempre quis uma escola onde se pudesse democratizar a dança para todos. O balé dá vigor físico e conhecimentos, motiva, disciplina o aluno e pode ser chance de transformar a vida de alguém."

Ex-aluna do projeto, Dandara (na foto, sendo orientada pela professora Jacqueline) está estudando dança em Nova York Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Missão
"Minha filosofia sempre foi integrar a família, a escola e a comunidade no balé. Em Alegrete, acho que conseguimos. Sempre que necessitamos de auxílio para apoiar os alunos nas viagens para concursos, a comunidade se une e ajuda."

Projeto
"O Primeiros Passos começou tímido, com a intenção de ser recreativo e de espalhar o conhecimento sobre a dança. Mas ele acabou se ampliando e sendo uma chance para as crianças que jamais teriam a oportunidade de mostrar o seu talento natural. Popularizamos o balé em Alegrete, e isso não tem preço!" 

Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Ponto final
"Comecei a dançar com 12 anos e nunca mais parei. Estudo dança todos os dias, trocando experiências com os meus alunos. Na minha vida, a arte da dança não tem um ponto final. É um desafio constante."


 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • jjsvoficial

    jjsvoficial

    JJSV#VOTEJJSV Nomes da Música Nacional 2016 do Diário Gaúcho #JJSV VOTAR: https://t.co/6Tz2q37aUA https://t.co/6BcDMrqHbKhá 2 horas Retweet
  • brancosbr

    brancosbr

    renato brancoCanguru Nocauteado... https://t.co/xacIk5zTKZ via @diario_gauchohá 3 horas Retweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros