Atalho para reduzir filas no SUS: saiba como funciona o Telessaúde - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Saúde22/11/2016 | 05h50Atualizada em 22/11/2016 | 09h41

Atalho para reduzir filas no SUS: saiba como funciona o Telessaúde

Rio Grande Sul é referência no país em consultoria a distância para facilitar diagnósticos e diminuir as filas de espera por especialistas.

Atalho para reduzir filas no SUS: saiba como funciona o Telessaúde Bruno Alencastro/Agencia RBS
Atendimento em Porto Alegre é referência Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS

Melhorar a saúde na Capital – reduzindo as filas e agilizando o acesso a especialistas – é um dos desafios que aguarda o prefeito eleito Nelson Marchezan Júnior. E, durante a campanha, ele apresentou de forma persistente uma ferramenta que poderia ser um trunfo: telessaúde. 

Nessa área, existe um programa nacional chamado Telessaúde Brasil Redes, iniciado em 2007, que busca melhorar o atendimento básico no SUS via 0800, no qual médicos das Unidades Básicas de Saúde falam diretamente com médicos especialistas, reduzindo a necessidade de outras consultas.

Leia outras notícias do dia

Como prefeito eleito, Marchezan Júnior reforça que vai aplicar a ideia nas rotinas dos postos de Porto Alegre.

– É um serviço oferecido para todo o Brasil, está sediado em Porto Alegre e é gratuito. Queremos implementar essa modalidade nos processos internos. Hoje, a Capital usa muito pouco essa alternativa – defende o prefeito eleito.

Referência

A referência nacional para o Telessaúde Brasil Redes fica dentro da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Começou como projeto de pesquisa vinculado à Faculdade de Medicina e serviu como piloto para o Ministério da Saúde. Hoje, o TelessaúdeRS-UFRGS, com cerca de 150 profissionais, atende todo o Brasil com teleconsultorias gratuitas por telefone 0800. São cerca de 2 mil atendimentos por mês.

– A cada três casos discutidos na teleconsultoria, em dois se evita a ida a um especialista. O profissional pode resolver, por exemplo, a dúvida sobre dosagem de insulina para um paciente sem que ele precise entrar em uma lista de espera – explica o coordenador de Telecomunicação do TelessaúdeRS-UFRGS, Otávio Pereira D'Avila.

Leia mais
Confira se é verdade o que disse Nelson Marchezan durante a campanha
Centros médicos reforçam Porto Alegre como polo de saúde

Segundo o coordenador, o TelessaúdeRS-UFRGS tem condições de suportar um aumento do número de ligações em Porto Alegre caso aumente a procura pelo serviço. Levantamento do TelessaúdeRS-UFRGS aponta que, levada em consideração a relação entre a população e o número de consultorias, a Capital gaúcha aparece na posição 194 no Estado no uso do 0800.

– Há espaço para aumentar em Porto Alegre, sim. Podemos absorver essa demanda porque funcionamos hoje abaixo da nossa capacidade. E acredito que, além da solução para os pacientes, isso significaria economia de custos para a prefeitura a médio e longo prazo – diz Otávio.

Outra linha de ação do programa é o RegulaSUS, em parceria com a Secretaria Estadual da Saúde do Estado. A lista de consultas com especialistas marcadas no Interior para a Capital é analisada e, dependendo do caso, o TelessaúdeRS-UFRGS liga para o médico que encaminhou o paciente e discute a situação. O resultado tem sido mais situações resolvidas no município, sem a necessidade de vir à Capital.

– Em janeiro de 2015, havia cerca de 171 mil consultas marcadas com especialistas na Capital. Hoje, são cerca de 61 mil. E isso com 97% dos médicos contatados por nós se dizendo confortáveis com esse processo, ou seja, aprovando a nossa intervenção – conta Otávio.

TELESSAÚDE BRASIL REDES

O que é: é um programa nacional, iniciado em 2007 para melhorar o atendimento nas Unidades Básicas de Saúde. A ideia é dar mais ferramentas para os profissionais das UBSs conseguirem resolver os problemas dos pacientes sem encaminhá-los para consultas com especialistas.

Para quem: o programa não é para os pacientes, é destinado aos profissionais e trabalhadores do SUS. São eles que fazem contato. 

O que oferece:
- Teleconsultoria:
pelo telefone 0800-644-6543 sobre diagnóstico, tratamento e/ou manejo de problemas de saúde.
- Teleducação: com oferta de atividades educacionais a distância.
- Telediagnóstico: elaboração de laudos a distância (espirometria, estomatologia e dermatologia).
- Segunda Opinião Formativa: biblioteca pública de perguntas e respostas sobre questões levantadas pelos profissionais e trabalhadores do SUS.

Quem responde:
- Núcleos em todo o país formam a rede que presta esses atendimentos.
- O projeto TelessaúdeRS-UFRGS é um dos protagonistas do programa e sedia o atendimento pelo telefone 0800 para todo o Brasil.
- Uma equipe de médicos e enfermeiros de diferentes especialidades, com excelente desempenho clínico e experiência em Atenção Primária à Saúde.

Qual o resultado:
- Em cada três casos discutidos, dois são resolvidos sem a necessidade de se encaminhar para um especialista.
- O paciente vai para casa com o problema resolvido, não precisa, muitas vezes, se deslocar para outra cidade e ficar em filas de espera.
- Os médicos especialistas ficam com casos que, realmente, não têm como ser resolvidos na Atenção Básica.
- As filas por especialistas não acabam do dia para a noite, mas a prática e estudos médicos vêm comprovando que a alternativa é caminho para se reduzir essa fila.


 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • diario_gaucho

    diario_gaucho

    Diário GaúchoMissa de sétimo dia homenageia as 71 vítimas do acidente com avião da Chapecoense https://t.co/0A2E2J9sp2 https://t.co/3JEvK5fFLEhá 3 minutosRetweet
  • omartinns

    omartinns

    NICOLAS MARTINS RT @henriqdp: separando 1 real pra comprar o diário gaúcho com o poster do gremio amanhãhá 13 minutosRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros