Quais os melhores caminhos de investimento para 2017 - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Encare a crise22/12/2016 | 21h08Atualizada em 22/12/2016 | 21h12

Quais os melhores caminhos de investimento para 2017

Redução da Taxa Selic para o próximo ano impacta nas aplicações financeiras mais procuradas pelos brasileiros

Quais os melhores caminhos de investimento para 2017 /

A turbulência na política e a perspectiva de queda na taxa de juros irão dar a tônica dos investimentos pessoais em 2017.

A maior parte dos economistas espera que o Banco Central (BC) continue reduzindo a Taxa Selic no ano que vem, e isso interfere diretamente em algumas das aplicações financeiras mais procuradas pelos brasileiros.

Leia também:
Tudo que você precisa saber sobre a liberação de saque do FGTS
Seguro DPVAT poderá ser pago a partir de segunda-feira no RS
Confira o calendário de feriados dos servidores públicos do RS em 2017

Conforme o Boletim Focus, compilado pelo BC e que reúne as previsões do mercado financeiro, a Selic deve cair de 13,75% para menos de 10,5% ao ano, ao final de 2017. Com isso, um Certificado de Depósito Bancário (CDB) ou um fundo de renda fixa que pagaria a totalidade da Selic perderá ao menos três pontos percentuais no rendimento.

— Com a queda da taxa de juros, os CDBs, por exemplo, não conseguirão entregar um rendimento tão atraente se considerarmos o valor líquido, após o desconto do Imposto de Renda — pondera Alexandre Wolwacz, sócio do Grupo L&S, que atua na área de investimentos.

Ele afirma que a poupança, com rendimento fixo de 0,5% ao mês mais Taxa de Referência (TR), será menos interessante em relação a outras aplicações.

A boa notícia aos investidores é que a inflação oficial, que chegou a 10,67% no ano passado e poderá fechar 2016 em 6,5%, possivelmente voltará a se aproximar do centro da meta de 4,5% no próximo ano. Mesmo investimentos que não rendam na casa de dois dígitos poderão resguardar o poder de compra do dinheiro guardado, diante da alta de preços.

— As melhores alternativas serão investimentos pré-fixados (o juro é definido no momento da aplicação): como a Taxa Selic ainda está em 13,75% ao ano e a inflação segue relativamente alta, a remuneração dessas opções fica atrelada a valores mais elevados do que os que vêm adiante — aponta Guilherme Ribeiro de Macêdo, professor da Escola de Administração da UFRGS.

Sob o guarda-chuva dos pré-fixados, especialistas apontam como valiosos os títulos de tesouro ligados à atual Selic (também chamados de LTNs) e à inflação acrescidos de juros anuais (as NTN-Bs). 

Confira outras reportagens da série Encare a Crise


Fontes: Alexandre Wolwacz, sócio do Grupo L&S, Guilherme Ribeiro de Macêdo, professor de Escola de Administração da UFRGS, e Carlos Müller, analista da Geral Investimentos.

 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • decio_azevedo

    decio_azevedo

    Decio Azevedo@felipedaroit @cid_martins Se for verdade isso...pelo amor de Deus né...É só pegar o classificado do Diário Gaúcho… https://t.co/qnQNJp1qrehá 3 minutosRetweet
  • azeredo1975

    azeredo1975

    Ricardo A Azeredo.@RdGaucha @rdgrenal @correio_dopovo @rbsnoticias @diario_gaucho @Grupo_RBShá 2 horas Retweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros