Ícone da Bombril, Carlos Moreno não é mais o garoto-propaganda da marca - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Saiu do ar17/02/2017 | 12h54Atualizada em 17/02/2017 | 13h05

Ícone da Bombril, Carlos Moreno não é mais o garoto-propaganda da marca

Ator ficou quase 40 anos nos comerciais de televisão, e desde 1994 é recordista do Guiness Book 

Ícone da Bombril, Carlos Moreno não é mais o garoto-propaganda da marca Ver Descrição/Ver Descrição
Foto: Ver Descrição / Ver Descrição

Depois de quase quarenta anos ensinando ao brasileiro as "mil e uma utilidades" da esponja de aço Bombril, Carlos Moreno, 63 anos, o garoto-propaganda que virou ícone da marca, foi dispensado pela empresa.

Desde 1994 figurando no Guiness Book como o garoto-propaganda com maior tempo de permanência no ar, Moreno estima ter feito cerca de 400 comercias de televisão para a Bombril, sem contar a publicidade em mídia impressa. Ele foi contratado em 1977 e seguiu até 2004, quando a relação com a marca "deu um tempo", retornando em 2007. No ano passado, o contrato foi encerrado.

Leia mais
Novidade no "The Voice Kids", séries e papo sobre música: os destaques da televisão neste fíndi
Ronaldinho Gaúcho se une a Wesley Safadão em clipe de Dennis; assista a "Professor da Malandragem"

Em entrevista ao portal Notícias da TV, Moreno contou que opção da Bombril em estrelar os comerciais com a cantora Ivete Sangalo e com as comediantes Dani Calabresa e Monica Iozzi — uma forma de tratar com bom humor da situação das mulheres na cozinha, inclusive com um viés feminista — terminou deixando-o de lado.

Ele admitiu ter ficado chateado com a situação, e após trabalhar ao lado do trio feminino, acabou aceitando a nova estratégia de comunicação da empresa. O desligamento, porém, acabou ocorrendo.

— O contrato estava para acabar e a Bombril passava por uma situação complicada. Fizeram cortes bem malucos em toda a empresa, inclusive na área de publicidade. Até me fizeram uma proposta de renovação, mas era meio absurda. Então chegamos num consenso: já que não estava sendo aproveitado, não tinha nenhuma perspectiva de trabalhar, não fazia sentido eu continuar contratado. No futuro, se tiver interesse, a gente volta a trabalhar junto com o maior prazer — contou.

Foi o publicitário Washington Olivetto que levou Moreno à televisão brasileira. Em 1977, Olivetto era responsável pelas campanhas da Bombril, e criou para Moreno, um jovem ator de teatro formado em arquitetura, o papel de um cientista que explicava às donas de casa sobre a versatilidade da esponja de aço.

— É um trabalho que tenho muito orgulho de ter feito, um marco. Tenho um patrimônio, que é esse personagem que eu fiz — diz o ator, sem descartar a possibilidade de seguir nos comerciais.

Leia outras notícias





 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • luis_history

    luis_history

    LuisAgora vou ler o jornal @diario_gaucho de hoje.há 45 minutosRetweet
  • Grupo_RBS

    Grupo_RBS

    Grupo RBSA união de uma escola vai ajudar a erguer uma casa nova para alunos (via @diario_gaucho) https://t.co/O3Wxo6dNoT 💙… https://t.co/lIyt2Wbh52há 1 horaRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros