Menina mata pai com tiro de espingarda após ser estuprada  - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

No Acre09/02/2017 | 14h00Atualizada em 09/02/2017 | 14h00

Menina mata pai com tiro de espingarda após ser estuprada 

Crime ocorreu em Tarauacá, a 400 quilômetros de Rio Branco. Jovem disse à polícia que era abusada há dois anos

Menina mata pai com tiro de espingarda após ser estuprada  Divulgação / PM-AC/PM-AC
Foto: Divulgação / PM-AC / PM-AC

Uma menina de 14 anos matou o pai com um tiro de espingarda no interior do Acre. O crime ocorreu na madrugada de quarta-feira, dia 8, após o pai estuprar a filha. Conforme a menina contou à polícia de Tarauacá, cidade a 400 quilômetros da capital Rio Branco, os abusos vinham acontecendo há dois anos.

Leia mais
Porto Alegre registra um caso por dia de violência sexual contra criança e adolescente
Família vive calvário após descobrir abuso sexual dentro de casa
País reage à cultura do estupro

A polícia foi comunicada do crime na manhã de quarta-feira, quando a menina foi levada de Ramal da Cachoeira, comunidade onde mora com a mãe e os irmãos, para a delegacia.

Segundo seu relato, os pais haviam bebido na noite de terça-feira, e quando a mãe foi dormir, o pai, de 34 anos, estuprou a filha sob uma ameaça que repetia sempre que queria abusar da menina: se ela resistisse, ele mataria ela e a mãe. 

A esposa acordou e viu a cena, entrando em luta corporal com o marido. Nesse momento, a menina pegou a espingarda e deu um tiro nas costas do agressor, que morreu na hora.

A jovem foi encaminhada ao hospital e submetida a um exame de conjunção carnal, que detectou o estupro. Segundo o delegado José Obetânio dos Santos, a possibilidade é que o juiz entenda o crime como legítima defesa. A mãe, de 45 anos, ainda está sendo ouvida pela polícia. Caso seja constatado que foi conivente com os abusos, será responsabilizada.

— Ela nos informou que a vida lá não era fácil, e que as duas viviam sob os caprichos do homem — disse Obetânio dos Santos.

A menina deve receber acompanhamento psicológico do Conselho Tutelar de Tarauacá.

Leia outras notícias


 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • diario_gaucho

    diario_gaucho

    Diário Gaúchohttps://t.co/auzvaYS2kVhá 46 minutosRetweet
  • lOiveiira

    lOiveiira

    FRANK LUCASRT @aretha_ramos: Depois não venha dizer que não foi avisado(a) HOJE TEM BATALHA DO MERCADO! Matéria no Jornal Diário Gaúcho de hoje, pági…há 1 horaRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros