Quase oito mil lojas fecharam as portas no Rio Grande do Sul em 2016 - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Varejo em baixa13/02/2017 | 11h43Atualizada em 13/02/2017 | 11h53

Quase oito mil lojas fecharam as portas no Rio Grande do Sul em 2016

Apesar de ser considerado ruim, o resultado é melhor do que em 2015, quando foram fechados 9.261 estabelecimentos

Quase oito mil lojas fecharam as portas no Rio Grande do Sul em 2016 Jessé Giotti/Agencia RBS
Foto: Jessé Giotti / Agencia RBS

Foram fechadas 7.735 lojas no Rio Grande do Sul em 2016. O levantamento foi divulgado pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) e, apesar de ser considerado ruim, é um resultado melhor do que em 2015, quando foram fechados 9.261 estabelecimentos. As informações são do blog Acerto de Contas.

O levantamento do Ministério do Trabalho já havia apontado fechamento de postos de trabalho no varejo gaúcho no ano passado. As lojas cortaram 5.588 empregos com carteira assinada.

Leia mais:
Comércio fecha 108,7 mil lojas e corta 182 mil vagas em 2016
Crise agrava atrito entre lojistas e shoppings

Neste ranking negativo, o Rio Grande do Sul ficou em quinto lugar no país. São Paulo liderou, fechando mais de 30 mil lojas. Em todo o Brasil, quase 109 mil estabelecimentos fecharam as portas em definitivo no ano passado.

— O resultado melhor no Rio Grande do Sul até é uma boa notícia no cenário nacional, já que o varejo gaúcho responde por 7,6% do faturamento no país – diz o economista Fabio Bentes, da CNC.

O economista avalia que, apesar de séria, a crise nas finanças públicas afetou menos as vendas no Rio Grande do Sul do que em outros Estados, como Rio de Janeiro. As vendas de inverno ajudaram bastante, em razão do frio intenso — lojistas refizeram encomendas de confecções para a indústria e até venderam estoques de anos anteriores.

O varejo acumula uma queda de vendas de cerca de 9%. Em 2015, foi superior a 13%. Os dados do varejo do fechamento de 2016 serão divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Resultado nacional é o pior desde 2005

Sobre o número nacional, a CNC observa que o fechamento de lojas foi o pior desde 2005, quando o levantamento foi iniciado, mas diminui o ritmo no segundo semestre.

— A falta de dinamismo no mercado de trabalho e o crédito mais caro e restrito explicam parte significativa das perdas de vendas nos últimos anos – aponta Bentes.

Lideraram os encerramentos de lojas os ramos de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, lojas de vestuário, calçados e acessórios e lojas de materiais de construção. Segundo a CNC, à exceção dos hipermercados e supermercados — que sofreram com a escalada dos preços no atacado no início de 2016 —, os demais segmentos analisados foram atingidos pelo encarecimento do crédito, tanto para consumidores como para a obtenção de capital de giro nos últimos anos.

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • marinelson23

    marinelson23

    JacksonRT @O_Marcoss: @CaioantoniocS @dougRodriguesol @_demetryus_ @marinelson23 Padrão Fifa, vai chegar o dia q poa vai parar começo do ano por c…há 9 minutosRetweet
  • CaioantoniocS

    CaioantoniocS

    CardosoRT @O_Marcoss: @CaioantoniocS @dougRodriguesol @_demetryus_ @marinelson23 Padrão Fifa, vai chegar o dia q poa vai parar começo do ano por c…há 9 minutosRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros