Escola pronta desde o ano passado ainda não recebeu nenhum aluno - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu Problema é Nosso13/04/2017 | 17h10Atualizada em 13/04/2017 | 17h11

Escola pronta desde o ano passado ainda não recebeu nenhum aluno

Os pais do Bairro Parque Santa Fé aguardam ansiosamente pelo início do ano letivo na EMEI Santo Expedito 

Escola pronta desde o ano passado ainda não recebeu nenhum aluno Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Os pais do Bairro Parque Santa Fé, na Zona Norte de Porto Alegre, que precisam de creche para os filhos estão vivendo um drama. A prefeitura construiu um prédio onde deveria funcionar a Escola Municipal de Educação Infantil ( Emei) Santo Expedito, mas, até hoje, nenhuma criança entrou na escola para estudar. E o problema parecem detalhes para quem espera tanto ( veja texto abaixo). 

A obra – que estava em fase inicial em janeiro de 2014, conforme publicação no site da prefeitura – chegou a ser inaugurada no final do ano passado pelo então prefeito da Capital José Fortunati. Na data, a promessa era de que o local teria capacidade para atender 171 crianças de zero a cinco anos e 11 meses. 

Leia mais
Com remédios em falta há quatro meses, casal de idosos gasta R$ 400 por mês
Demora e falta de Samu voltam a ser reclamação em Cachoeirinha
Aberto desde 2015, buraco representa perigo em rua de Porto Alegre

Marjori Audrey, 24 anos, trabalhava como recepcionista em uma farmácia de manipulação. Ela é uma das mães da região que precisam de um lugar onde deixar os filhos. A jovem teve de deixar seu emprego para cuidar da filha Lívia da Silva Meris, três anos. 

Mãe e filha aguardam ansiosas pelo dia em que a escolinha, na esquina das ruas Gabriel Bezerra Cavalcanti e Santo Expedito, entrará em funcionamento. A expectativa era de as crianças começarem a estudar no início deste ano letivo, conforme a direção da escola informou aos pais, mas isso não ocorreu. 

— Em fevereiro, tirei férias para ficar com ela ( Lívia) em casa, porque nos prometeram que, no dia 6 de março, as aulas começariam. Só que isso não aconteceu, e eu tive que pedir demissão para cuidar dela — recorda Marjori. 

Há mais de um mês, ela não consegue trabalhar por não ter com quem deixar a filha. Além de Marjori, outras 20 mães mantém um grupo no WhatsApp para tratar do assunto. Marjori conta que, entre as mães que conhece no grupo, duas também tiveram que largam seus empregos e uma está levando o filho para o serviço, por não ter com quem deixá- lo. 

A recepcionista desempregada alega que os moradores do bairro já entraram em contato com a prefeitura diversas vezes, mas a resposta que recebem é de que não há previsão para que o espaço seja inaugurado.

Prefeitura dá prazo para inauguração 

A Secretaria Municipal de Educação ( Smed) explicou que a inauguração da escola ainda não aconteceu em função da constatação de problemas técnicos nas instalações de gás e elétrica. Esses defeitos comprometeriam a segurança dos alunos. Segundo a Smed, a data prevista para início das aulas é o dia 17 de abril. 

Diferentemente do que foi publicado no site da prefeitura no ano passado, a Smed informou que o espaço irá receber 50 crianças – com possibilidade de aumentar para 75 – e não 171. A prefeitura não explicou o motivo na redução das vagas de um ano para o outro. 

O investimento na construção do prédio foi de quase R$ 1,5 milhão. 

Leia outras notícias da sessão Seu Problema é Nosso


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros