A história do casal que se conheceu graças a um recorte de jornal achado no lixo - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Dia dos Namorados12/06/2017 | 07h00Atualizada em 12/06/2017 | 11h50

A história do casal que se conheceu graças a um recorte de jornal achado no lixo

Em 2009, Adao encontrou um anúncio feito por Elza na seção do Diário Gaúcho Clube dos Corações Solitários e decidiu procurá-la

A história do casal que se conheceu graças a um recorte de jornal achado no lixo Mateus Bruxel/Agencia RBS
Em setembro de 2010, o casal oficializou a união Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Quando você menos espera, ele acontece. O amor. Em qualquer lugar, até onde você menos imagina, como numa lixeira. Em maio de 2009, o pedreiro Adao Dorival Rotel, 66 anos, encontrou em um contêiner de lixo um Diário Gaúcho de 27 de março daquele mesmo ano. Apesar de antigo e já amassado, ele resolveu folhear o jornal. No Clube dos Corações Solitários, viu um perfil que chamou sua atenção. Daquela situação inusitada, conheceu sua cara-metade, a artesã Elza Dummer Camargo, 62 anos.

— Eu sempre digo que encontrei ela no lixo, as pessoas dão risada — conta Rotel, como gosta de ser chamado, brincando com o caso.

Elza estava viúva havia 17 anos quando, incentivada por uma amiga, resolveu enviar uma carta ao Clube. Tímida, colocou o nome de Tânia para não ser reconhecida pelos vizinhos. Na publicação, dizia: "Sou clara, viúva, sincera. Tenho 1,60m, 53 anos, olhos azuis. Gostaria de conhecer um homem viúvo, sem vícios, com situação definida, que tenha entre 45 e 65 anos. Quero ser feliz e fazer alguém feliz. Tânia Camargo — Canoas". No mesmo dia, Elza estava de aniversário. Ainda assim, o presente veio quase dois meses depois.

Adao fez o coração de Elza bater mais forte Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Noventa e duas ligações. Sim, 92 homens ficaram interessados em Elza. Destes, chegou a conhecer sete, mas nenhum fez seu coração bater mais forte. A descrição dos olhos azuis chamou atenção de Rotel, que também era viúvo. Ele mandou uma mensagem de texto para a mulher que, até então, ele acreditava se chamar Tânia, dizendo que queria conhecê-la. Elza, sem hesitar, respondeu que sim.

Leia mais
Saiba como funciona e para que serve o contrato de namoro 
Dia dos Namorados em lua de mel com o bolso: veja dicas para caprichar no romance sem gastar demais
Aprenda três receitas e comemore com seu amor em casa

No dia 12 de maio daquele ano, Rotel saiu de Porto Alegre, onde morava, e foi até Canoas para conhecer a pretendente:

— Logo que ele chegou onde marcamos de nos encontrar, me cumprimentou com três beijinhos e brincou, dizendo "pra gente casar".

Assim que se olharam, se apaixonaram. Coisa de filme mesmo, amor à primeira vista, recordam. Conversa vai, conversa vem, saíram para fazer um lanche e, no final, Rotel foi direto ao ponto: "Quer namorar comigo?". Elza respondeu que sim e, antes mesmo de trocarem o primeiro beijo, selaram o romance com um formal aperto de mãos.

— Ele disse "então está fechado". Achei uma graça — conta Elza.

Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Cinquenta e cinco dias depois, o casal estava morando junto. Rotel juntou as roupas, colocou no carro e foi ao encontro da amada. Desde então, os dias têm sido de muito companheirismo e felicidade. Segundo Elza, alguns amigos e familiares ficaram meio desconfiados, não acreditavam que o relacionamento iria dar certo. Mas deu, e muito. Tanto que Elza e Rotel se casaram três vezes: primeiro fizeram pacto de comunhão estável, depois casaram-se no civil e, em seguida, na igreja. 

— Ele fez questão de que a gente casasse, comprou até nossas alianças e, no dia 24 de setembro de 2010, a gente oficializou casamento. O Rotel é muito romântico, dá presentes, sopinha na cama, cuida da nossa casa, sempre compra bichinhos novos para o meu jardim, se dá bem com meus filhos. Ele é um homem de ouro — diz ela.

Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

O amor é tanto que eles, que são viúvos, "cuidam" dos ex-amores falecidos. Além de acompanhar Elza nas visitas ao túmulo do ex-marido, Rotel reformou a sepultura. Já Elza auxilia no pagamento do túmulo da ex-esposa de Rotel. Observando a troca de olhares entre eles, o cuidado e a forma como falam um do outro, é possível perceber que, mesmo tendo vivido histórias de família antes, são imensamente apaixonados, depois de oito anos juntos. Rotel, sempre sorridente, se derrete por Elza:

— É muito ruim ficar sozinho, e a Elza preencheu meu coração. Ela é uma pessoa muito correta, honesta, cuidadosa, amorosa. Somos parceiros e lidamos bem com nossas diferenças — conta Rotel.

Rotel e Elza contam que, entre eles, foi amor à primeira vista Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Para relembrar e comemorar o aniversário de casamento, todos os anos, Elza e Rotel pegam a estrada rumo ao Uruguai. Além disso, todos os domingos são dia de almoçar fora, comendo um churrasco.

— Nós somos muito arteiros, adoramos passear. Estamos vivendo o que nunca tínhamos vivido antes. Nos conhecemos com nossos filhos (Elza tem três, e Adao, cinco) já crescidos e, agora, podemos aproveitar para viver a vida juntos, fazer tudo que a gente gosta. Graças a Deus nos encontramos — comemora Elza.

— Ela é minha veinha, meu amor, e nossa intenção é ficar juntos para sempre, até que a morte nos separe — completa Rotel, encantado com os lindos olhos azuis da esposa.

Ela perdeu uma aposta e ganhou um amor

Lorenço António Pereira Marques Junior e  Francielen Marques Prestes Foto: Arquivo pessoal / Leitor/DG

Uma aposta perdida foi o que deu a oportunidade da cuidadora de idosos Francielen Marques Prestes, 24 anos, conhecer o amor de sua vida. Após uma brincadeira entre ela e uma amiga, quem perdesse teria que publicar o seu perfil no Clube dos Corações Solitários. No dia 30 de março de 2016, as breves linhas saíram na seção: "Tenho 23 anos, boa aparência, sou fofinha. Procuro homem de 28 a 33 anos, carinhoso, inteligente, romântico para relacionamento. Franciele — Porto Alegre".

Entre as centenas de mensagens que recebeu naquele dia, uma chamou mais sua atenção. Depois de algumas conversas, Francielen marcou de encontrar um pretendente, o cobrador de ônibus Lorenço Antônio Pereira Marques Junior, 28 anos, já no dia seguinte. O encanto, segundo ela, foi à primeira vista. No dia 1º de abril, os dois já estavam namorando.

— Nos apaixonamos muito rápido e, um dia depois que nos encontramos, ele já foi falar com meu pai e começamos a namorar — conta ela.

Desde então, Francielen e Lorenço não se desgrudaram mais. Neste ano, eles completaram um ano de muita felicidade.

— Uma brincadeira virou um baita amor, e graças ao Diário Gaúcho nos encontramos. O Lorenço é meu companheiro pra tudo! Um namorado de ouro que me trata como uma rainha, me cuida e me protege — diz Francielen.

Encontre seu amor no Clube dos Corações Solitários

Você também quer viver uma história de amor? Então veja quem está procurando um namorado ou namorada ou envie seu perfil. Para participar, mande um e-mail para atendimento@diariogaucho.com.br ou uma carta para Avenida Ipiranga, 1.075, Bairro Praia de Belas, em Porto Alegre. O Cep é 90169-900. Não esqueça de colocar um telefone para a confirmação dos dados.

*Produção: Shállon Teobaldo

Leia mais notícias


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros