Emergências SUS de cinco hospitais estão com atendimento restrito em Porto Alegre - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Saúde19/06/2017 | 16h32Atualizada em 19/06/2017 | 16h32

Emergências SUS de cinco hospitais estão com atendimento restrito em Porto Alegre

Pacientes devem procurar postos de saúde ou a UPA Zona Norte 

Emergências SUS de cinco hospitais estão com atendimento restrito em Porto Alegre Lucas Abati/Agencia RBS
Quem chega na emergência do Hospital de Clínicas depara com atendimento restrito  Foto: Lucas Abati / Agencia RBS

Emergências de cinco hospitais estão com atendimento restrito a casos graves ou encaminhados pelo Samu, na tarde desta segunda-feira (19), em Porto Alegre. A situação mais grave foi identificada no Hospital de Clínicas.

Na instituição, conforme a última atualização, no começo da tarde, há 110 pacientes adultos para 41 vagas, além de 11 pacientes para nove leitos pediátricos. Apenas casos de risco de morte estão sendo recebidos no local.

O Hospital São Lucas da PUC opera com o dobro da capacidade na emergência adulta: 26 pacientes para 13 leitos. Na emergência pediátrica, são sete crianças para oito vagas. No entanto, também opera com restrição, pois como a UTI Pediátrica está superlotada, um leito da emergência deve ficar reservado. 

A restrição também afeta a emergência do Hospital Conceição, que tem 88 pacientes para 64 leitos disponíveis. No Hospital Santa Clara, do Complexo Hospital Santa Casa, a emergência adulta tem 28 pacientes para 24 leitos. Na área pediátrica, há 13 vagas para 11 pacientes.

No Hospital Materno Infantil Presidente Vargas, a prefeitura orienta que pais evitem levar os filhos, já que todos os leitos estão ocupados. A Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre orienta que as crianças sejam levadas para as unidades de saúde mais próximas de suas residências. De acordo com a SMS, 70% dos casos poderiam ser tratados nesses locais, sendo classificados com pulseiras das cores azul e verde. 

Outra alternativa à superlotação dos hospitais, a Unidade de Pronto Atendimento Zona Norte está com a procura mais alta, mas sem restrição no atendimento. 

Maternidade restrita

O Hospital Municipal de Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, segue com atendimento restrito de gestantes devido à superlotação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e do Centro Obstétrico desde domingo (18). Todos os leitos das duas alas estão ocupados. O hospital conta com 11 leitos na UTI Neonatal e 6 leitos no Centro Obstétrico. Os atendimentos de baixa complexidade estão sendo transferidos para hospitais de região.

O Hospital Centenário, em São Leopoldo, é a alternativa para as gestantes. No entanto, a maternidade está operando quase no máximo da capacidade, com 21 bebês em 19 leitos. 

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • inchauspe

    inchauspe

    InchauspeRT @realcris_silva: Obrigada Diário Gaúcho!!! https://t.co/0sgqy9MYUv via @diario_gauchohá 10 minutosRetweet
  • TobiasAloisio

    TobiasAloisio

    Tobias Aloisio@realcris_silva @diario_gaucho show!!! parabénshá 32 minutosRetweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros