Profissionais de áreas ironizadas por estudantes de escola em Novo Hamburgo defendem seu ofício - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Deram certo06/06/2017 | 19h21Atualizada em 07/06/2017 | 12h20

Profissionais de áreas ironizadas por estudantes de escola em Novo Hamburgo defendem seu ofício

Fotos viralizaram com alunos vestidos de faxineira, mecânico e ambulantes

A aula de preconceito praticada por um grupo de estudantes de uma escola em Novo Hamburgo, convidados a vestir roupas que representassem profissões que escolheriam caso não fossem aprovados no vestibular (atividade que chamaram de Se Nada Der Certo), repercutiu mal entre os profissionais mencionados. Ambulantes, faxineiros, empacotadoras, entre outros, foram convidados pela reportagem a enaltecer seu ofício e sublinhar a importância de seu trabalho à sociedade — e garantem: longe de ser um diploma na parede o atestado de que alguém "deu certo" na vida. 

Carmem Regina, 62 anos 
Faxineira em galeria comercial
"Meu trabalho é importante e tem que ser valorizado. O que seria dessa galeria, dessa cidade, sem limpeza e organização? Já trabalhei em hospitais que passaram por greves e trabalhei duro, dia a dia, para deixar o ambiente pronto para receber pacientes em emergência. Não diria que há tanto preconceito (contra a profissão), o que vejo muito é gente sem consciência, que joga lixo por tudo e não recolhe".

Foto: Erik Farina / Agência RBS

Flávia Estela, 33 anos, 
Vendedora em loja de roupas
"Toda profissão merece respeito. Muitas famílias são sustentadas por pais sérios, em empregos dignos, mesmo que às vezes sejam pouco valorizados pelas pessoas, e que conseguem pagar faculdades a seus filhos. Gosto muito de meu trabalho, de lidar com o público, ajudar as pessoas a fazerem a melhores escolhas".

Foto: Erik Farina / Agência RBS

Luiz do Nascimento, 64 anos 
Vendedor ambulante 
"Trabalho há 45 anos como ambulante, vendo brinquedos para crianças, guarda-chuvas — produtos que todo mundo precisa — e, mesmo assim, tem gente que não respeita minha atividade. Algumas pessoas enxergam o ambulante como João-ninguém — mal sabem que ganho mais do que muita gente com diploma"

Foto: Erik Farina / Agência RBS

Isaias Guedes, 31 anos 
Dono de carrocinha de cachorro-quente

"Emprego duas pessoas pagando mais do que um salário mínimo, e graças a este trabalho tenho minha casa, meu carro e pago escola particular para minha filha. Quem despreza a profissão de cozinheiro ou vendedor de alimentos ainda não tem a visão da vida, do que é trabalhar duro. Sou formado em educação física, tenho formação em São Paulo, e optei por esse trabalho por que vejo nele tanto valor quanto em qualquer outro."

Foto: Erik Farina / Agência RBS

Tiele Lopes Arruda, 29 anos
Caixa em mercadinho
"Gosto do meu trabalho, ganho bem, sou reconhecida e tenho a confiança do meu chefe. Se trabalhasse em outra área, talvez não tivesse possibilidade de crescer. Menosprezar este trabalho é ignorância, mas é raro alguém me tratar com preconceito".

Foto: Erik Farina / Agência RBS

Jaison Martins, 32 anos
Mecânico

"Trabalho nisso por que gosto de receber o carro do cliente, entender onde está o problema, resolver e devolver funcionando normalmente. Não vejo muito preconceito contra minha profissão — exceto quando estou um pouco engraxado e saio na rua. É um trabalho importante: o mundo gira em quatro rodas."

Foto: Erik Farina / Agência RBS

Leia mais
Cláudia Laitano: preconceito de festa à fantasia espelha apartheid social 
David Coimbra: talvez as pessoas sejam rabugentas porque nem tudo deu certo para elas

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • diario_gaucho

    diario_gaucho

    Diário Gaúchohttps://t.co/OyFYjuEoNNhá 43 minutosRetweet
  • hermesmitter

    hermesmitter

    HERMES DANIELDIÁRIO GAÚCHO 🇧🇷 PORTO ALEGRE, 27 DE JUNHO DE 2017. @diario_gaucho https://t.co/8qXGhKRykDhá 2 horas Retweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros