Postos de saúde estão sem materiais de higiene e limpeza em Cachoeirinha  - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Precariedade14/07/2017 | 08h01Atualizada em 14/07/2017 | 08h01

Postos de saúde estão sem materiais de higiene e limpeza em Cachoeirinha 

Faltam desde papel toalha até água sanitária. Tem funcionários fazendo até vaquinha para comprar papel higiênico para uso pessoal

Postos de saúde estão sem materiais de higiene e limpeza em Cachoeirinha  Tadeu Vilani/Agencia RBS
Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Itens de higiene e limpeza estão em falta nos postos de Estratégias de Saúde da Família (ESF) de Cachoeirinha. A ESF Carlos Wilkens, na Vila da Paz, não recebe papel higiênico desde janeiro. Papel toalha, quando enviado pela Secretaria Municipal de Saúde, é em pouca quantidade. Água sanitária e sabão em pó também não chegam para limpeza do piso. 

Na manhã desta quarta-feira (12), o Diário Gaúcho visitou este e mais dois postos da cidade, a ESF Araçá, na Vila Anair, e a ESF José Ramos, no Bairro Jardim do Bosque. 

Na José Ramos, mesmo com os relatos de declínio no envio de materiais desde o final do ano passado, o coordenador Altair dos Santos Dapper afirma que as faltas são pontuais. Ele admite que faltaram itens como papel higiênico e papel toalha, mas diz que foram repostos nesta semana. Segundo ele, estão sendo evitados gastos excessivos.

Reaproveitamento

Tatiane aponta ainda a falta de medicamentos na José Ramos Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Após deixar a unidade, a dona de casa, Tatiane Silva, 31 anos, reclamou da ausência de papel higiênico e garantiu que não é só isso que rotineiramente falta:

– Meu sobrinho com asma já veio fazer nebulização aqui e não conseguiu por falta de medicamento – lembra. 

Na ESF Araçá, após a falta de papel higiênico por semanas, o produto também foi reposto recentemente.

Na ESF Carlos Wilkens, onde o produto ainda não chegou, os funcionários fazem vaquinha para comprar o item para o próprio uso. E chegam a reutilizar os sacos destinados para lixo contaminado. 

A auxiliar de enfermagem da ESF e integrante do Conselho Municipal de Saúde, Delmarina Dias, diz que não há como limpar o chão da unidade por falta de materiais de limpeza. Medicamentos como Omeprazol e Dexametazona também estão em falta, assim como aparelhos para medição de pressão, já que apenas um está funcionando. 

Na Carlos Wilkens, papel higiênico estava em falta desde janeiro Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Prefeitura nega 

A secretária interina de Saúde de Cachoeirinha, Elisiane Coelho, nega que a falta de papel higiênico nas unidades tenha se estendido por meses. Segundo ela, o material chegou na semana passada e foi distribuído para todos os 19 postos de saúde da cidade, entre UBS e ESF. 

Ainda de acordo com Elisiane, nenhuma unidade está sem, embora a reportagem tenha confirmado que na ESF José Ramos o produto ainda está em falta: 

– No começo do ano, ficou um período sem. Casualmente chegou na quarta e foi reposto em todos os postos.

A secretária explica que tanto medicamentos quanto materiais de insumo e higiene são repostos de acordo com os pedidos feitos pelas enfermeiras de cada unidade. Elisiane reforçou ainda que o setor de almoxarifado da Secretaria da Saúde confirma que não há falta de materiais na unidade.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros