Magali Moraes e as muitas fases da vida  - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Coluna da Maga18/09/2017 | 16h14Atualizada em 21/09/2017 | 08h20

Magali Moraes e as muitas fases da vida 

Magali Moraes e as muitas fases da vida  Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Conviver com idades diferentes que a nossa é muito bom, dá uma mistura interessante. Enquanto nós estamos vivendo uma determinada fase da vida, tem alguém acumulando outro tipo de experiência. Que legal poder reviver as mesmas situações que já passamos, acompanhando quem está descobrindo isso agora. O contrário também é válido: ao observar o que acontece com pessoas em uma fase que ainda não vivemos, podemos matar a curiosidade antecipadamente.

Tenho amigas fazendo 50 anos (eu sou a próxima), e também outras se aproximando dos 60 e 70. Vou me inspirando nelas pra curtir o que vem pela frente. Da mesma forma, espero ajudar alguém a se enxergar (bem faceiro) num futuro próximo. No lugar onde trabalho, são muitas fases de vida que se misturam. A ala dos vinte e pouquinhos anos, a ala dos 30, a pequena ala dos quarentões. Aliás, esse é o meu segredo de rejuvenescimento: conviver com essa diversidade de idades e vivências, sem me sentir um peixe fora d'água.

Leia outras colunas da Maga

Saudade antecipada

Falando nisso, tenho quatro colegas que se tornaram pais pela primeira vez. Ao ver fotos das suas filhinhas, eu volto no tempo. Engraçado observar o que é pai há apenas um mês dizer pro novato da turma o clássico "curte muito porque passa rápido!". E passa mesmo. Mas pode acalmar essa ansiedade, viu? Tem um mundaréu de fases novas pra curtir, cada uma a seu tempo. O encantamento com os filhos segue pra sempre, apesar da sensação de saudade antecipada. 

E quando essa mistura de idades reinventa papéis dentro da própria família? No último fíndi, uma sobrinha que mora em outra cidade hospedou em sua casa o priminho que ela viu nascer. Só que agora adulto, barbudo e com namorada. Lá num passado bem distante, um dia a Tininha me disse: "tia, eu ainda vou ir pra balada com meus priminhos!" A diferença de idade entre eles era enorme. E não é que esse dia chegou? Olha aí as linhas do tempo se cruzando numa boa.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros