Trabalhador com CNPJ ativo não recebe seguro-desemprego: veja como dar baixa na sua empresa - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Benefício15/09/2017 | 13h17Atualizada em 15/09/2017 | 13h17

Trabalhador com CNPJ ativo não recebe seguro-desemprego: veja como dar baixa na sua empresa

Cadastro ativo como pessoa jurídica, mesmo que a empresa não esteja funcionando na prática, impede retirada de seguro-desemprego

Trabalhadores com cadastro ativo no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) não podem retirar o seguro-desemprego em caso de demissão, conforme o Ministério do Trabalho. Mesmo que a empresa não esteja emitindo notas ou gerando lucros, o ideal é dar baixa antes de pedir o seguro. A pasta entende que há renda se a empresa tem registro ativo na Receita Federal e, por este motivo, não libera o benefício. 

Leia mais
Perguntas e respostas sobre a reforma trabalhista
Reforma trabalhista: confira a nova forma de demissão que foi criada

Para quem já teve o seguro negado, o Ministério do Trabalho orienta que o trabalhador desempregado apresente recurso junto às unidades descentralizadas do Ministério, como as agências do Sine. É preciso levar termo de distrato ou de retirada da sociedade, emitido pela Junta Comercial. O atendimento para recurso pode ser agendado no site. 

Como dar baixa na empresa

Para microempreendedores individuais (MEIs), o Portal do Empreendedor disponibiliza um roteiro de como dar baixa no CNPJ, sem qualquer custo. Basta gerar um código de acesso para preenchimento dos documentos e o processo é todo feito pela internet, por este link.

Para pequenas e microempresas, o processo é um pouco mais elaborado. Nas cidades em que há a Rede Sim, o processo todo é em apenas um lugar, mas o Sebrae não tem informações sobre quanto tempo demora. No RS, são 91 cidades participantes da Rede Sim. Confira no mapa disponível neste link o local mais perto de você. 

Até quando pedir o seguro-desemprego

Há prazo após o pedido de demissão para pedir o seguro-desemprego. Fique atento para não perder o direito: 

- Trabalhador formal: do 7º ao 120º dia após a data da demissão
- Pescador artesanal: durante o período de defeso, em até 120 dias do início da proibição
- Empregado doméstico: do 7º ao 90º dia, contados da data da dispensa
- Empregado afastado para qualificação: durante a suspensão do contrato de trabalho
- Trabalhador resgatado: até o 90º dia, a contar da data do resgate

Quem pode receber o seguro-desemprego

Há uma série de condições para ter o benefício, de acordo com a categoria de trabalhador. Veja quais são  para trabalhadores formais:

- Ter sido dispensado sem justa causa.
- Estar desempregado quando fizer o pedido do benefício.
- Não possuir renda própria de qualquer natureza suficiente à sua manutenção e da sua família.
- Não estar em gozo de qualquer benefício previdenciário de prestação continuada, com exceção do auxílio-acidente e pensão por morte.
- Ter recebido salários de pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada.

Critérios para empregados domésticos, pescadores artesanais e trabalhadores resgatados de situações análogas à escravidão devem ser consultados no site da Caixa Econômica Federal.

Produção: Camilla Pereira

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros