Ficou para 2018 a permissão para pagar boleto de até R$ 2 mil vencido em qualquer banco - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Contas09/10/2017 | 11h43Atualizada em 09/10/2017 | 11h43

Ficou para 2018 a permissão para pagar boleto de até R$ 2 mil vencido em qualquer banco

Inicialmente, Febraban havia anunciado que a liberação ocorreria nesta segunda-feira (9)

Ficou para 2018 a permissão para pagar boleto de até R$ 2 mil vencido em qualquer banco Carlos Macedo/Especial
Foto: Carlos Macedo / Especial

Foi adiada para 2018 a liberação para pagar boletos vencidos com valor abaixo de R$ 2 mil em qualquer banco. A informação foi divulgada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) nesta segunda-feira (9), data que havia sido anunciada pela entidade como início da entrada em vigor do novo sistema. 

A nova plataforma está sendo implantada de forma gradual, conforme o valor do boleto: no dia 10 de julho, passou a valer para boletos acima de R$ 50 mil. Em 11 de setembro, para boletos de R$ 49.999,99 a R$ 2 mil. Até o momento, a mudança atingiu somente 3,7% de todos os boletos emitidos no país. O sistema anterior só permite fazer o pagamento em atraso no banco que emitiu a cobrança.

Leia mais
Dia das Crianças: confira 10 dicas para presentear bem sem entrar no vermelho
Dicas para avaliar se é uma boa ou não antecipar o pagamento de dívidas
Imposto de Renda: Receita abre consulta ao quinto lote de restituição

De acordo com a Febraban, uma das vantagens da Nova Plataforma de Cobrança, criada pela entidade e por instituições financeiras, é a eliminação do risco de pagamento em duplicidade: quando um boleto é apresentado em algum banco, o sistema informa se ele já tiver sido pago, evitando novo pagamento por engano. Também reduz inconsistências de dados e permite a identificação do emissor e do pagador do boleto, facilitando o rastreamento de pagamentos e redução das fraudes.

O volume elevado de documentos no novo sistema – estimado em cerca de R$ 4 bilhões de boletos por ano – foi o motivo informado pela Febraban para mudar o cronograma original, que previa a inclusão de todos os boletos até o fim de 2017. 

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros