Manoel Soares: "As pessoas querem o que os olhos podem ver. Cabe a nós trazer os sonhos para perto" - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Papo reto28/10/2017 | 08h00Atualizada em 28/10/2017 | 08h00

Manoel Soares: "As pessoas querem o que os olhos podem ver. Cabe a nós trazer os sonhos para perto"

Presumir que o gaúcho não tem capacidade e ignorar as limitações de oportunidades é tão absurdo como dizer que jovens de periferia são o que são porque querem


Manoel Soares no Encontro com Fátima Bernardes.
Foto: Sérgio Zalis / Divulgação

Não temos nenhum nenhum astronauta gaúcho, por que será? Será que nenhum gaúcho tem inteligência para ser astronauta? Ou será por que a NASA não tem uma base no Estado? Talvez, o gaúcho astronauta não tenha surgido porque as oportunidades de ser astronauta estão muito longe. 

Digo isso porque há poucas semanas, por intermédio da Central Única das Favelas (Cufa), começamos um projeto que busca dar aos jovens de uma das regiões mais violentas do Estado oportunidades profissionais e de convivência artística. Quando decidimos fazer isso, me disseram que eu iria me arrepender, que era melhor deixar os bandidos da Cruzeiro se matarem. Porém, nesta semana, assisti à molecada em ação e concluí que a violência não somente tem como causa a pobreza. Eles me mostraram que a indiferença é o combustível que faz muitos puxarem o gatilho. 

Leia outras colunas do Manoel Soares

Os jovens do nosso projeto não são bandidos e não querem ser. Querem o direito de ter oportunidades iguais na vida, e fico feliz de fazer parte dessa realização. Sei que quem mandou deixar os jovens morrerem lê minha coluna aqui, e é com muito orgulho que digo que esta pessoa está errada. Temos cursos de cozinha e de cabeleireiro, e as turmas estão lotadas. 

Os jovens querem ser o que propusermos, se ao alcance da mão. Assim como o astronauta gaúcho. Presumir que o gaúcho não tem capacidade e ignorar as limitações de oportunidades é tão absurdo como dizer que jovens de periferia são o que são porque querem. As pessoas querem o que os olhos podem ver. Cabe a nós darmos óculos e trazer os sonhos para perto e, em breve, teremos um astronauta vindo da Vila Cruzeiro.





 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros