Último dia do Feirão da Serasa: confira mais ações para limpar o nome - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Contas no azul30/11/2017 | 16h40

Último dia do Feirão da Serasa: confira mais ações para limpar o nome

Fique por dentro também dos direitos da pessoa que está inadimplente

Último dia do Feirão da Serasa: confira mais ações para limpar o nome Adriana Franciosi/Agencia RBS
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS
Diário Gaúcho
Diário Gaúcho

Esta quinta-feira (30) é o último dia para aproveitar condições especiais para quitar dívidas oferecidas no Feirão Limpa Nome da Serasa. Feirões de outras entidades também oferecem oportunidades para que os consumidores inadimplentes limpem seus nomes e entrem em 2018 no azul.  Confira:

Leia mais
Dicas para não se endividar mais
Pode ligar e mandar mensagem? Veja o que é ou não permitido na hora da cobrança
Primeira parcela do 13º salário tem de ser paga até esta quinta: tire suas dúvidas

Feirão Limpa Nome da Serasa

Esta quinta-feira (30) é o último dia do Feirão Limpa Nome da Serasa. É possível renegociar as dívidas sem sair de casa, usando computador, tablet ou smartphone. A ação reúne grandes, médias e pequenas empresas de diversos segmentos. O evento permite a renegociação pela internet diretamente com esses credores de forma gratuita.  

Acesse o site neste link. Na página, serão apresentados os canais de atendimento oferecidos por cada credor. É por eles que ocorrerá a negociação (telefone, e-mail ou chat).

Super Feirão Zero Dívida CDL/POA

A CDL POA promove até esta sexta-feira (1º) o Super Feirão Zero Dívida. A iniciativa facilita a renegociação de dívidas, com condições especiais junto às empresas participantes. O Procon também fará atendimento no local, para esclarecer dúvidas dos consumidores. A ação será no Centro de Atendimento ao Consumidor (Ceacon) da CDL e SCPC (Rua Senhor dos Passos, 229), Centro da Capital. Vai até as 20h desta quinta-feira (30) e das 8h30min às 18h na sexta-feira (1º)

- Empresas participantes: Agata Jóias Consignados, Agiplan Financeira, Banco Agiplan, Banco Topazio, Banrisul, Benoit, Certel, Colombo, Corsan, Consórcio Agiplan, CR Die Mentz, EJA Universitário, Embeleze, Feitiço Infantil Com. Confecções Ltda, GBOEX Grêmio Beneficente, Gladis Elaine dos Santos de Souza/GE Representações, Herval, Instituto da Construção Porto Alegre, Lebes, MBM Previdência Complementar, Multitel, Portocred, Praticard, QI Informática LTDA, Raimunda Helena Oliveira Lisboa, SED – Sistema de Ensino a Distância, Senac RS, Suppercard, Ughini, Unimed Federação e Verdecard.

2º Mutirão de Renegociação

O Procon Porto Alegre, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), realiza o 2º Mutirão de Renegociação de Dívidas, no sétimo andar do prédio 50 da PUCRS (Avenida Ipiranga 6.681, bairro Partenon, Porto Alegre). Vai até as 17h desta quinta-feira (30) e, na sexta-feira (1º), das 8h30min às 17h. 

- Empresas participantes: Bancos Agiplan, Caixa Federal, Itaú, Bradesco, Santander e Portocred. Empresas de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM. Instituições como Banco do Brasil, BMG e Cetelem atenderão aos clientes interessados em renegociação neste site.

#QuitaFácil

Clientes com dívidas em atraso junto à Caixa Econômica Federal no Rio Grande do Sul terão oportunidade para renegociar com algumas vantagens. A campanha #Quitafacil promete descontos especiais para pagamento à vista até o dia 28 de dezembro. Poderão participar clientes Pessoa Física e Jurídica que possuam contratos em atraso, como cartões de crédito, empréstimos pessoais e financiamento de carros e imóveis. Em alguns casos, poderão ser abatidos os juros e reduzido o valor da dívida. 

As formas de atendimento da campanha são pelo telefone 0800-726-8068, opção 8, ou em qualquer agência da Caixa Federal do Estado com documento de identificação e CPF. Mais informações e dados sobre dívidas podem ser encontradas neste link da Caixa.

Saiba quais são os direitos dos inadimplentes

O que pode

- A empresa pode cobrar por telefone fixo, celular, telegrama, e-mail, SMS, WhatsApp, carta com ou sem aviso de recebimento, notificação via cartório, notificação judicial e protesto com notificação via cartório.
- Também pode cobrar no local de trabalho, desde que não exponha o consumidor perante colegas ou superiores.
- Pode deixar recado com colegas do trabalho pedindo para retornar a ligação, sem divulgar o que é a cobrança.
- Entrar em contato uma vez por turno para cobrar, desde que seja em horário comercial e durante a semana.
- Já o consumidor pode comunicar a empresa para a qual deve que não deseja mais receber telefonemas sobre a cobrança.

O que não pode

- Cobrar por contato público. Neste ponto, contam as redes sociais, caso não seja contato privado. Telefonemas não podem ser repetitivos a ponto de causarem abalo psicológico (não há um número específico).
- Telefonemas frequentes, como mais de uma vez por turno, ligações repetitivas em horários não comerciais ou nos finais de semana. Cobranças que expõem o consumidor ao constrangimento, ameaça física ou moral, que interferem com seu trabalho, descanso ou lazer são consideradas abusivas. É recomendável formalizar reclamação no serviço de atendimento ao cliente da empresa.
- Expor o devedor ao ridículo em público ou no local de trabalho.
- Enviar cartas de cobrança ao endereço de trabalho, a menos que tenha aviso de recebimento direcionado para o destinatário e tenha envelope discreto.
- Empresas que fornecem água ou energia elétrica são proibidas de suspender serviços por débitos antigos. Significa que, se você deixou de pagar uma das faturas mas quitou a do mês seguinte, o serviço não pode ser interrompido, porque se torna débito antigo. Caso haja suspensão, o órgão é obrigado a enviar notificações prévias.
- Inscrever o devedor em serviços de proteção ao crédito sem notificação com, pelo menos, dez dias de antecedência.
- Deixar o consumidor que tenha quitado a dívida em cadastros negativados. Em até cinco dias depois da quitação, ele deve ser retirado do cadastro.

Fontes: Lisandro Adames, advogado de Direito do Consumidor

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros