Após ser campeã de gastos, Câmara de Gravataí zera diárias entre vereadores em 2017 - Notícias

Versão mobile

Raio-X 29/12/2017 | 15h51Atualizada em 29/12/2017 | 15h51

Após ser campeã de gastos, Câmara de Gravataí zera diárias entre vereadores em 2017

Em série de reportagens publicada em 2016, Gravataí se destacava como a Câmara da Região Metropolitana que mais gastava com diárias de viagens

Campeã de gastos com diárias de viagem entre janeiro de 2013 e junho de 2016, segundo levantamento realizado pelo Diário Gaúcho, a Câmara de Vereadores de Gravataí zerou este gasto entre parlamentares em 2017. 

Apenas servidores viajaram e gastaram R$ 2.106,85 ao longo de 2017. No período do levantamento do DG, em três anos e meio, só a Câmara de Gravataí, que tem 21 vereadores, gastou R$ 715.578,98. O valor era maior do que o dinheiro gasto para esta finalidade na Câmara de Vereadores de São Paulo, a maior do país, no mesmo período. A Câmara paulista, que tem 55 vereadores, usou R$ 276.750,95 em diárias entre janeiro de 2013 e junho de 2016.

Leia mais:
Vereadores da Região Metropolitana gastaram R$ 2,4 milhões com diárias de viagem desde 2013  

A discussão para extinguir as diárias de viagens começou quando o vereador Dilamar Soares (PSB) propôs, em fevereiro deste ano, o primeiro projeto que previa o fim do benefício. A proposta original, que não chegou a ir a votação, foi modificada pela mesa diretora, que propôs emenda dando brecha apenas para viagens a Brasília, quando então foi aprovada pela Câmara. 

— Ninguém mais foi viajar por causa da pressão das pessoas. Estamos num momento de crise e temos que dar o exemplo. Sempre tive o entendimento de que os cursos feitos nessas viagens não melhoravam a cidade — argumenta Dilamar. 

Entre janeiro de 2013 e junho de 2016, o destino mais visitado pelos vereadores foi Brasília. Foram 94 viagens à Capital Federal em três anos e meio.

O presidente da Câmara Nadir Rocha explica que a decisão de economizar dinheiro com viagens partiu de um acordo feito entre os parlamentares para cortar despesas extras:

— Vivemos um momento muito difícil e a Câmara precisa colaborar com alguma coisa. Cortamos para ajudar a prefeitura. Só vamos (viajar para Brasília) se for de extrema necessidade, como não houve essa necessidade, ninguém foi para lugar nenhum. Foi uma consciência nossa mesmo. 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros