Casa da Sopa precisa de ajuda para seguir alimentando moradores de rua e famílias carentes de Porto Alegre - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu problema é nosso11/12/2017 | 09h25

Casa da Sopa precisa de ajuda para seguir alimentando moradores de rua e famílias carentes de Porto Alegre

Além de refeições prontas, são distribuídos pela ONG Belém kits com alimentos perecíveis, entregues porta a porta para as famílias cadastradas: mais de 200

Casa da Sopa precisa de ajuda para seguir alimentando moradores de rua e famílias carentes de Porto Alegre Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Panelões garantem alimento que sacia a fome dos pequenos e também a dos idosos Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

—Sozinhos não somos nada. Juntos, mudamos o mundo. 

Este é o lema da Casa da Sopa — ONG Belém, que há mais de 20 anos presta trabalhos voluntários para os que precisam de ajuda. Porém, agora, quem pede apoio é a própria entidade, a fim de poder seguir fazendo o bem para famílias em situação de pobreza e moradores de rua. 

Leia mais
Idosa sofre com atrasos na marcação de consultas no Hospital da Ulbra, em Canoas
Esposa faz homenagem ao falecido marido que ela conheceu por meio dos Corações Solitários do Diário Gaúcho
Abastecimento volta ao normal em bairro de Porto Alegre depois de reportagem do DG

A organização, com sede no bairro Santa Tereza, na Capital, está com dificuldades para conseguir alimentos para realizar seu tradicional sopão, feito todos os sábados e oferecido no local. Os voluntários se esforçam para não deixar o prato vazio: quando não há alimentos para fazer uma sopa, preparam alternativas, como risoto e massa com salsicha. 

— Para muitos, esta é a única refeição da semana — explica Abigail Dorneles dos Santos, 30 anos, voluntária e secretária da ONG. 

Roupas e outros 

Nos dias de distribuição da sopa, os voluntários oferecem também roupas e calçados. Abigail conta que até mesmo eletrodomésticos são doados para a ONG Belém, como televisões e micro-ondas, que também são entregues às famílias beneficiadas. Nos sábados, são disponibilizados cerca de 300 pratos de sopas. 

— Mas muitas pessoas ficam sem. Isso é de cortar o coração, porque a gente não recebe tantas doações quanto gostaríamos — lamenta Abigail. 

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!   

Além da refeição pronta, são distribuídos kits com alimentos perecíveis, entregues porta a porta para as famílias cadastradas: mais de 200. A organização surgiu junto à Igreja do Evangelho Quadrangular do bairro. 

— Começamos a nos inserir na comunidade não apenas como igreja — relembra a voluntária. 

Registrada no papel, a ONG só existe há dois anos. A oficialização foi feita para que o voluntariado pudesse ser ampliado. 

Emoção marca história da Casa da Sopa 

Abigail conta duas histórias que marcaram a vida dela como voluntária. Em um sábado frio de inverno, uma menina de sete anos foi à sede com uma calça rasgada nos joelhos, uma blusa fina e chinelos de dedo. 

Comovida, a moça levou a menina até o banheiro, a limpou e vestiu uma nova roupa na pequena. Depois, a voluntária ofereceu um prato de sopa e outras roupas para ela levar para casa. 

— Ela tremia de frio e, depois, ficou agradecida. Saiu da sede quentinha, com roupa limpa, com a barriga cheia e outras roupas, que ela poderia trocar depois. Isso não tem preço: ver o brilho e a felicidade no olhar daquela criança — recorda. 

Em outra data, na distribuição de alimentos não perecíveis, Abigail e outros voluntários levavam kits para a casa das famílias. Quando bateram na porta de uma moça, por coincidência, ela estava de aniversário — mas sequer lembrava. Na casa, havia sete crianças e uma mulher idosa. 

Devido à data especial, foram entregues dois kits com os alimentos. 

— Ela ficou muito feliz por ter alimentos e poder dar um almoço digno para os filhos comerem no dia do aniversário dela. Fazemos isso com muito amor e carinho, ajudando a fazer a diferença — conta.

Saiba como ajudar 

— Entre em contato com a ong pelo Facebook da Casa da Sopa ou pelo WhatsApp ( 51) 99189- 8693, com Abigail, e ( 51) 99638- 5818, com Jedid.

— O endereço é Vila Tronco II, Acesso 76, 19, Bairro Santa Tereza, Porto Alegre.

*Produção: Eduarda Endler 

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros