Calçada está com cratera aberta há cinco meses em bairro de Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso23/01/2018 | 09h29Atualizada em 23/01/2018 | 09h29

Calçada está com cratera aberta há cinco meses em bairro de Porto Alegre

O buraco surgiu quando moradora do bairro Chácara das Pedras estava saindo de casa, de carro. O chão cedeu, levando junto seu veículo

Calçada está com cratera aberta há cinco meses em bairro de Porto Alegre Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Os moradores da Avenida José Gertum, próximo ao número 136, no bairro Chácara das Pedras, na Capital, enfrentam, há cinco meses, um problema que se agrava a cada dia. Um enorme buraco no meio da calçada representa não só uma diminuição na mobilidade, como também um perigo para os pedestres que transitam por ali. 

Leia mais
Portador de leucemia, menino precisa de doações para fazer transplante em Brasília
Prefeitura de Viamão derruba 17 árvores em praça da cidade e revolta moradores
Idosa espera por exames desde outubro do ano passado, em Canoas

Conforme a jornalista Fernanda Tatsch, 24 anos, a cratera é um grande incômodo para quem vive no local, como seu namorado, Henrique Kalife, 24 anos, estudante de Sistemas para Internet, e a sogra, Vera Rosa, 58 anos, que é microempresária: 

— É um descaso, chamamos todos os órgãos, fizemos vários protocolos, e nada muda. Parece que eles estão esperando o pior acontecer, o que não tem cabimento. 

O buraco surgiu quando Vera Rosa estava saindo de casa, de carro. O chão cedeu, levando junto seu veículo. Aquela parte do passeio público parece ser oca, como observa a jornalista, e canos da rede pluvial expostos dão a ideia de que o problema pode ser bem mais complexo. 

— É algo que coloca muitas pessoas em risco, um pedestre desavisado, uma criança distraída. Além do prejuízo financeiro que a minha sogra teve com o seu carro, o buraco está chegando cada vez mais próximo da casa — explica Fernanda. 

Problema cresce

Após meses de espera sem resposta, os moradores da via não aguentaram mais ver a situação sem uma solução, como conta Fernanda, e a opção foi criar uma defesa improvisada para garantir a segurança de quem transita no local: 

— Os vizinhos se reuniram e colocaram estacas de madeira para criar uma certa proteção, mesmo que de forma paliativa. Sabemos que vai ser preciso uma obra grande, o buraco está oco, conseguimos ver os canos de esgoto. 

Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG

Intervenção deve ocorrer nesta semana

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) informou, por meio da Divisão de Manutenção de Águas Pluviais (DMAP), que o problema da Avenida José Gertum acontece em função de redes pluviais antigas e insuficientes, que não dão a vazão necessária para a água da chuva. 

A SMSUrb prometeu que serão realizadas intervenções no local ainda nesta semana, visando reduzir os problemas atuais. O órgão afirmou que somente a macrodrenagem do Arroio Areia amenizará de forma significativa as ocorrências na via. A secretaria explicou que essa obra está prevista para o primeiro semestre de 2018. 

De responsabilidade da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (SMIM), ela beneficiará cerca de 180 mil moradores de 14 bairros. 

Em nota, a SMSUrb afirmou que, conforme o cronograma, serão necessários quatro anos e meio para finalizar a implantação dos 7 mil metros de galerias pluviais e a construção de sete bacias de amortecimento de cheias — incluindo uma na própria Avenida José Gertum —, além da reforma na casa de bombas Silvio Brum, localizada na Avenida Sertório.

*Produção: Leticia Gomes

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros