Corrente de solidariedade após reportagem do DG ajuda leitora a conseguir transporte para fisioterapia  - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso12/01/2018 | 09h20

Corrente de solidariedade após reportagem do DG ajuda leitora a conseguir transporte para fisioterapia 

Jocenara ficou epiléptica depois de um AVC e não consegue ir de ônibus porque longos períodos sentada em um coletivo, muitas vezes lotado, podem desencadear um ataque

Corrente de solidariedade após reportagem do DG ajuda leitora a conseguir transporte para fisioterapia  Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Aposentada sofreu AVC e precisa se locomover até a AACD Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

A família Maciel, que mora na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, começou 2018 comemorando uma conquista importante graças à solidariedade de leitores do Diário Gaúcho.

Leia mais
Prefeitura de Alvorada não cumpre promessa de patrolar via e caminhão cai em buraco
Impasse entre prefeitura e moradores deixa esgoto invadindo residências em Gravataí
Falta de capina em praças impede continuidade de projeto social em Porto Alegre 

Após a publicação de uma reportagem que pedia ajuda para a família, eles conseguiram arrecadar uma quantia importante para o tratamento de Jocenara Melo Maciel, 48 anos, que sofreu um grave Acidente Vascular Cerebral (AVC) isquêmico, em janeiro de 2016. 

Ela precisa usar transporte individual para ir às sessões de fisioterapia na AACD, no bairro Jardim do Salso, quatro vezes por semana, mas o marido, o eletricista Roberto Rodrigues Maciel, 48 anos, não tem condições de pagar as viagens de táxi. As doações recebidas, cerca de R$ 950, equivalem a um mês e meio de transporte. 

— Estou nessa luta há dois anos, e qualquer ajuda é muito bem-vinda. Ficamos muito gratos a todos que ajudaram — conta Roberto, que largou o trabalho há mais de um ano para se dedicar aos cuidados com a esposa. 

Eles têm um filho, Diordan Melo Maciel, 18 anos, e vivem somente com a aposentadoria da mãe. Jocenara ficou epiléptica depois do AVC e não consegue ir de ônibus porque longos períodos sentada em um coletivo, muitas vezes lotado, podem desencadear um ataque. 

Recuperação 

O Estado oferece transporte de van, mas o serviço só está disponível duas vezes por semana e a frequência de horários é um transtorno para alguém na situação de Jocenara, que já precisou ficar esperando três horas antes do horário da consulta e aguardar mais duas horas após o atendimento para ser buscada pelo serviço estadual. 

A doença atingiu o lado esquerdo do cérebro da aposentada, comprometendo sua capacidade motora e a fala. Por isso, as sessões de fisioterapia são fundamentais para a sua recuperação. 

A esperança de Roberto é conseguir verba suficiente para um ano de transporte para o tratamento intensivo, e ele pretende continuar em busca de auxílio: 

— Com certeza, esse dinheiro nos deu um grande alívio, mas continuamos na luta. São pelo menos mais 11 meses de tratamento intensivo, fundamentais para a reabilitação. 

Saiba como ajudar

/// Você pode fazer doações por meio de vaquinha on-line.  

/// Depósito na Caixa Econômica Federal, agência 0453, operação 013, conta 00100523-0 

/// Em nome de Diordan Melo 18/ 12/ 2017 Maciel

*Produção: Leticia Gomes

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso! 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros