Manoel Soares: meu personagem - Notícias

Versão mobile

Papo Reto27/01/2018 | 08h00Atualizada em 27/01/2018 | 08h00

Manoel Soares: meu personagem

Colunista convida leitores a fazerem um teste diferente

A vida é um palco e somos todos atores do espetáculo da existência. Temos personagens, assim como artistas de novela, a diferença é que, às vezes, esquecemos disso e somos colocados em situações desconfortáveis porque nosso personagem não condiz com o ambiente em que estamos.

A mesma boca que vomita é a que beija. Esse exemplo pode nos ajudar a entender a lógica de papéis e funções. Quando pensamos nas duas situações, parecem duas bocas diferentes, mas é a mesma. Assim como a pessoa que somos em casa e no trabalho são diferentes, embora no mesmo corpo. Entender quem somos em cada ambiente nos ensina o tom de voz, os gestos e as falas apropriadas para cada lugar.

Entender quem somos em cada ambiente nos ensina o tom de voz, os gestos e as falas apropriadas para cada lugar.

Boa parte das pessoas perde o emprego por posturas inadequadas, que não correspondem ao personagem que devem entregar naquele local. Muitos casamentos acabam porque o parceiro não segue o papel que um relacionamento requer. Quando conhecemos nossos personagens, os colocamos nos lugares certos e na hora certa. Esquecer disso é como vomitar na hora do beijo, desastre total.

Se tivesse que se descrever, conseguiria? Minha sugestão é que tente e pergunte a alguém mais próximo se o que escreveu bate. Vai ver que seu personagem talvez não seja o que você imagina.

Leia outros textos de opinião

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros