Quadrilha usa caminhão para derrubar portão e assaltar depósito de celulares em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

Zona Norte19/01/2018 | 17h27Atualizada em 19/01/2018 | 17h27

Quadrilha usa caminhão para derrubar portão e assaltar depósito de celulares em Porto Alegre

É a terceira vez em quatro meses que o mesmo local é atacado por criminosos

Uma quadrilha armada assaltou um depósito da Claro na Avenida Francisco Silveira Bittencourt, no bairro Sarandi, na zona norte de Porto Alegre, na madrugada desta sexta-feira (19). Conforme a Polícia Civil, de sete a 10 bandidos com toucas e luvas participaram da ofensiva e levaram um grande número de smartphones.

  Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

Primeiro, os criminosos usaram um caminhão de areia roubado para colidir em um portão do centro de distribuição e invadir o pátio. Junto com o veículo, entraram no terreno dois carros e uma van. Os bandidos renderam um vigilante. A polícia afirma que outros dois seguranças saíram correndo ao perceber a movimentação.

Com a van carregada de smartphones, os bandidos fugiram nela e em outros dois carros, abandonando o caminhão no local. A Polícia Civil identificou que os assaltantes ainda deram tiros para cima em frente ao depósito. 

A Brigada Militar (BM) não encontrou nenhum bandido ao fazer buscas na região. A Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) investiga o caso. O delegado Alexandre Fleck afirma que a organização da quadrilha chamou a atenção: 

— A forma de agir não destoa das demais, mas tem modus operandi e objeto (smartphones) bem específicos. Uma quadrilha muito organizada e de difícil reconhecimento. 

A Polícia Civil recebeu a informação de que de 2 mil a 3 mil smartphones foram levados. No entanto, segundo o delegado, o número é impreciso. Os policiais aguardam uma estimativa oficial da Claro sobre o material levado. Fleck e a equipe da delegacia também esperam imagens de câmeras de segurança e prosseguem na investigação. 

É a terceira vez em quatro meses que o mesmo centro da Claro é atacado. Em outubro, o crime aconteceu de maneira semelhante, com grande número de bandidos participando e em vários carros. A delegacia acredita que seja a mesma quadrilha que cometeu os dois assaltos.

Houve ainda um outro crime no local, em setembro, que a polícia atribuí a outro grupo. A filha de um funcionário do depósito foi sequestrada. A quadrilha exigiu para liberá-la que o estabelecimento fosse aberto e produtos entregues. 

  Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

Prejuízo milionário

Em junho, outra ofensiva criminosa em Porto Alegre causou prejuízo de quase R$ 3 milhões para a companhia aérea Latam. Ao todo, 2,7 mil celulares da marca Samsung foram levados em uma ação parecida também na madrugada de uma sexta-feira. A polícia chegou a prender parte da quadrilha, mas outros não foram identificados. Ao longo do ano, em outras ocasiões, a polícia encontrou pessoas que não participaram do crime os celulares roubados pelo grupo. 


 
 
 
 
 
 

Mais sobre

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros