Magali Moraes e a dor de uma câimbra - Notícias

Versão mobile

 

Coluna da Maga12/02/2018 | 10h00Atualizada em 12/02/2018 | 10h00

Magali Moraes e a dor de uma câimbra

  

A escritora e publicitária Magali Moraes é a nova colunista do Diário Gaúcho. Ela vai escrever a Coluna da Maga, todas as sextas-feiras.
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Ela é dolorida até pra escrever. O certo é câimbra, cãibra ou cãimbra? Não importa agora, nem consigo pensar direito. Ainda sinto a panturrilha latejando. Quando a câimbra vem, a dor te cega. Acordar com aquela fisgada repentina é um pesadelo. A gente leva um susto. Não sabe se está sonhando ou se é real. Aiiiii. Bota real nisso. Se alguém estiver por perto, vai tentar ajudar dizendo "Alonga que alivia." Mas como alongar no meio de uma baita contração muscular?

Sabe o que eu ouvi do meu marido na hora em que gritei que estava com câimbra? "Aguenta firme até passar". Tratamento de choque, mozão? É que ele tem experiência no assunto, conhece bem a inimiga. E realmente não tem o que fazer. Me agarrei na barra do lençol e cerrei meus dentes. Que dor violenta!! Pra completar, a danada me acordou dez minutos antes do despertador tocar (isso dói também). Podia ter esperado um pouco. Pior que acordar assim, só o telefone tocando no meio da noite com notícia ruim.

Leia outras colunas da Maga

Cacho inteiro

Quando a câimbra finalmente passou, eu pensei na banana que adoro. Vou ter que comer quantas pra me garantir? O cacho inteiro? São muitas causas da câimbra. Atividade física sem alongar antes e depois (ou o oposto, o sedentarismo). Desidratação. Falta de cálcio, magnésio ou potássio. Pode ser efeito colateral de diuréticos. Ou estar ligada a alterações no metabolismo e outras doenças. Li que quanto maior a dor, mais músculos estão envolvidos na contração.

O fato é que ela te pega de surpresa e mostra quem é que manda. Reze pra câimbra durar poucos segundos, não intermináveis minutos. O ideal é respirar fundo e massagear o lugar. Desde que a gente não paralise com a dor (o que geralmente acontece). Será que eu sonhei que era uma atleta em plena Olimpíada? Não lembro. De todas as câimbras que já tive, essa foi a campeã. O lado bom é que a dor se foi e ficou um assunto pra coluna. Tomara que te ajude caso a bandida apareça.   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros