Magali Moraes escreve sobre a perigosa combinação de fome e supermercado - Notícias

Versão mobile

 

Coluna da Maga19/02/2018 | 10h00Atualizada em 19/02/2018 | 10h00

Magali Moraes escreve sobre a perigosa combinação de fome e supermercado

  

A escritora e publicitária Magali Moraes é a nova colunista do Diário Gaúcho. Ela vai escrever a Coluna da Maga, todas as sextas-feiras.
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Todo mundo sabe que não pode, nunca dá certo. Mas eu fui com fome no supermercado. A geladeira implorava. Caso contrário, a família jantaria água. Fui na saída do trabalho, naquele horário em que a gente come até pedra se colocar um salzinho. A coisa complicou no fim da tarde, quando bateu a fome geral e meus colegas só falavam em comida. Ao chegar no súper, eu já lutava contra pensamentos gordos. Decidi focar no que me levou até lá: fritas (opa! frutas) e verduras. 

Mas a vida sabe ser irônica. Qual a primeira cena que vi? Um menino abocanhando uma imensa rosca de polvilho. Virei o rosto pro outro lado e mentalizei um carrinho de compras bem magro. A essa altura, meu estômago já urrava. Oficialmente, eu estava varada de fome. Cada corredor do súper é uma prova de fogo. Passei pelos biscoitos recheados, os chocolates, as massas. O pior ainda estava por vir: a tentação (opa! seção) de pães. Imagina aquele suspiro que vem de dentro. Saiu sozinho. Acho que deu pra ouvir na rua.

Leia outras colunas da Maga

Alucinações

Quando cheguei na parte do hortifrúti, as provocações continuaram. Ou seriam alucinações? As ervilhas tortas me lembraram de torta (de chocolate, óbvio). A couve-manteiga me fez sonhar com uma manteiguinha derretendo no pão francês. A batata doce que o filho pediu me teletransportou pra seção de doces. Fui salva pela rúcula, a alface e o espinafre. Trio parada dura. Foi como se eles me dessem um tapa na cara, acordando do devaneio.

Dou um doce pra quem adivinhar o final dessa história. Quando eu já estava jogando tudo pro alto e correndo pra fila do pão de queijo, ouvi um simpático "Magali!!". Era o leitor Juan. Segunda vez que a gente se encontra. Conversamos um pouquinho e me acalmei. Lembro de ter comentado que eu estava com fome (boca santa). Espero que o Juan não tenha ouvido a minha barriga roncar. O fato é que terminei as compras e passei reto pelos bombons no caixa. Jantei magrinho. Que vitória! 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros