Manoel Soares fala sobre as "mães de navio negreiro" - Notícias

Versão mobile

 

Papo Reto10/02/2018 | 08h00Atualizada em 10/02/2018 | 08h00

Manoel Soares fala sobre as "mães de navio negreiro"

Muitas vezes, mães trazem verdades duras, diz colunista

Manoel Soares fala sobre as "mães de navio negreiro" Lauro Alves/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

Assistindo, recentemente,  a um concurso de escolhas de rainhas e passistas de escola de samba, vi que, um pouco antes do anúncio das ganhadoras, uma das candidatas – muito bonita, por sinal – estava com os olhos cheios d'água. Ela era uma das favoritas, mas, aos poucos, viu que outras meninas se destacavam e que ela ia ficando aquém do esperado. Isso gerava nela um pânico visível. 

Sua mãe, que estava no meio da torcida, se dirigiu até a parte de trás da cortina onde a filha estava aflita e disse a ela: "Filha, você não vai ganhar porque, na hora que deveria ter dado o seu máximo, travou. Você passou no vestibular para Direito este ano, mas agora você perdeu e não quero chilique." 

Leia mais colunas de Manoel Soares

Algumas pessoas em volta criticaram a mãe, mas ela ela agiu como uma mãe de de navio negreiro. Alguns podem achar essa afirmação racista, mas explico. No processo de venda de escravos, as crianças acreditavam que seriam salvas, até o momento em que suas mães olhavam dentro dos seus olhos e contavam que jamais seriam vistas novamente e que teriam que ser donas de seus destinos. 

Serem portadoras dessas verdades duras, hoje, não é "privilégio" da mãe negra, mas de muitas mãe que precisam preparar suas proles para se relacionarem com a dor como vencedores, por mais que a derrota grite. 

Entendi aquela mãe depois, vi nela a pedagogia dos navios negreiros e a sabedoria ancestral. A moça secou as lagrimas dos olhos, abriu um sorriso e deu os próximos passos rumo à vida.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros