Magali Moraes e as pessoas que vão sozinhas a restaurantes - Notícias

Versão mobile

 

Coluna da Maga09/03/2018 | 10h00Atualizada em 09/03/2018 | 10h00

Magali Moraes e as pessoas que vão sozinhas a restaurantes

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

  

A escritora e publicitária Magali Moraes é a nova colunista do Diário Gaúcho. Ela vai escrever a Coluna da Maga, todas as sextas-feiras.
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Tem algo que sempre chama a minha atenção em restaurantes, além do bufê de sobremesa. São as pessoas sentadas sozinhas, comendo numa boa. Durante a semana, é super comum ver essa cena em áreas que concentram empresas e comércio. Os solitários podem ser facilmente reconhecidos pelo crachá pendurado no pescoço e o jeito apressado de engolir a comida. Nem dá tempo de se sentir sozinho porque o intervalo do almoço é curto e sempre tem uma voltinha pra dar. Quem nunca?

Já no final de semana é diferente. A pessoa saiu de casa pra se fazer companhia. Vai dividir a mesa com os seus pensamentos. Poderia ter pedido tele-entrega. Pegar a primeira coisa que viu na geladeira. Mas preferiu se arrumar e sair pra comer no restaurante preferido. Não ter companhia é um mero detalhe. Talvez use o celular pra ocupar as mãos e postar foto da comida. Talvez abra um livro ou revista. Não vai ter pra quem alcançar o sal e perguntar se acertou no prato escolhido. E daí?

Leia outras colunas da Maga

Banquete

Quem está sozinho no restaurante sabe que será observado. Dou uma espiada, confesso. Não sei absolutamente nada sobre o vivente, se é solidão constante ou momentânea. Só sei que admiro pra caramba essa pessoa. Ali tem autoconfiança, e isso é banquete pra muitos talheres. Ao ser recebida na chegada, vai dizer que é mesa pra um. Quando o garçom vier tirar o pedido, vai confirmar que não vem mais ninguém. Os outros pratos serão recolhidos. O convidado é um só!

Em viagens a trabalho, muitas vezes eu dividi a mesa comigo mesma. Depende do momento, da cidade, do estado de espírito. Pode ser relaxante quando o cansaço é grande. Pode ser chato se o plano era encontrar amigos e não rolou. Pode ser uma experiência nova pra quem está sempre cercado de gente. Pode ser uma bela oportunidade de descobrir que a própria companhia é suficiente. Ir ao cinema ou a um show sozinho também é um programa diferente. Já experimentou? Vá sem pressa e sem medo.     


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros