Magali Moraes escreve sobre o pior provador de roupas do mundo - Notícias

Versão mobile

 

Coluna da Maga19/03/2018 | 07h00Atualizada em 19/03/2018 | 07h00

Magali Moraes escreve sobre o pior provador de roupas do mundo

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes escreve sobre o pior provador de roupas do mundo  /
Foto: /

 Não importa em que loja ele fica. A culpa não é dele, é sua. Nenhum fast-fashion manda se jogar no fast-food. A loja não serve o seu prato de comida como se você fosse um estivador que passou meses em alto mar. Ela não abre embalagem de chocolate fora de hora e coloca uma tirinha inofensiva na sua boca. Nunca ouvi falar de boutique que inventa de comer espaguete aos quatro queijos com bife à milanesa. Depois é a cor que engorda. O tecido que repuxa. A modelagem mal feita. A numeração que encolheu. Jura?

Verdade seja dita. O que aparece refletido no espelho é o tamanho do nosso apetite. Quem é boa de garfo passa trabalho pra comprar roupa. Estar acima do peso é entrar no provador segurando dez cabides e segurar a respiração pra conseguir fechar o zíper. Tudo marca. Tudo gruda. Que suador! Se for o seu dia de sorte, uma das dez opções vai servir (não necessariamente a que você queria). Quem já passou pela humilhação de entalar num vestido e ter que pedir ajuda pra tirar sem rasgar, vai me entender. 

Leia mais colunas de Maga

  Que diferença faz se o provador da loja é mal iluminado? Se é apertado? Mil vezes uma calça folgada dentro de um provador apertado, do que o contrário. Seria mais digno faltar luz e te oferecerem uma lanterna pra enxergar o mínimo. Melhor arriscar e levar pra experimentar em casa. Vai que o aconchego do lar te faz relaxar e tudo se encaixa. Tem 30 dias pra trocar, lembra? Até lá, a frustração passou. E novos modelos chegaram na loja, aumentando a chance de achar algo legal.

Os homens entram no provador e pá-pum. Serviu? Levam. Não serviu? Não levam. Vida que segue. A gente fica remoendo, se arrepende até o último grão de sal da batata frita. Briga com o espelho. Manda foto pra amiga, torce pra que seja só uma ilusão de ótica. Mas amiga que é amiga dá a real. Se tiver o mesmo manequim, empresta roupa. Talvez a saída seja não comprar nada. E se gostar igual. O provador que se dane.

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros