Renato Dornelles aponta fatos para lembrar e para esquecer sobre o Carnaval 2018 - Notícias

Versão mobile

 

Chora, cavaco30/03/2018 | 08h01Atualizada em 30/03/2018 | 08h01

Renato Dornelles aponta fatos para lembrar e para esquecer sobre o Carnaval 2018

Renato Dornelles aponta fatos para lembrar e para esquecer sobre o Carnaval 2018 Mateus Bruxel/Agencia RBS
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Definitivamente, 2018 é um ano a ser esquecido por alguns aspectos, mas lembrado por outros, no que diz respeito aos desfiles em Porto Alegre. Ou melhor, ao Carnaval de escolas de samba, pois desfiles não ocorreram.

****

Em todos os registros, históricos e estatísticos, pela primeira vez, em 63 anos, não teremos uma campeã. Isso, por sinal, já havia sido decretado, quando da decisão de que os desfiles deste ano não seriam competitivos, e foi sacramentado pela suspensão das apresentações “amistosas”. Ou seja: não teremos nem aquela “campeã do povo”, escolhida pelo público.

****

É preciso lembrar deste ano como forma de avaliação e reflexão sobre o que ocorreu de errado e o que deve ser evitado para que não volte a acontecer. 

****

Porém, na mais antiga das escolas da Capital, Bambas da Orgia, os problemas prosseguem. Nesta semana, uma assembleia extraordinária convocada pelo presidente do Conselho Fiscal, Milton Garcia, não foi realizada porque a diretoria não liberou a quadra. Ao meu ver, mesmo que até então estivessem com a razão, os dirigentes erraram ao não permitirem o acesso à sede. Ou então, que eles próprios convocassem uma assembleia, pelo menos para esclarecimentos ao quadro social. Da maneira posta, a entidade já parte dividida para o já difícil Carnaval 2019.

****

Em Canoas, houve desfiles e competição. Parabéns à Nenê do Harmonia pelo título, com a Rosa Dourada como vice. No acesso, deu Os Soares.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros