Após semana de longas filas, postos de Porto Alegre recebem gasolina e voltam ao normal aos poucos - Notícias

Versão mobile

 

Greve dos caminhoneiros31/05/2018 | 15h20Atualizada em 31/05/2018 | 15h20

Após semana de longas filas, postos de Porto Alegre recebem gasolina e voltam ao normal aos poucos

Segundo sindicato dos postos, filas devem ser registradas até pelo menos o sábado, e abastecimento volta à normalidade total na semana que vem

Após semana de longas filas, postos de Porto Alegre recebem gasolina e voltam ao normal aos poucos Felipe Daroit / Agência RBS/Agência RBS
Poucos estabelecimentos registravam filas no início da manhã desta quinta-feira na Capital Foto: Felipe Daroit / Agência RBS / Agência RBS

O suplício para tentar abastecer em Porto Alegre parece estar próximo do fim. Após uma semana de longas filas e muita demora em meio à greve dos caminhoneiros, a movimentação é tranquila na manhã desta quinta-feira (31) na maior parte dos postos de combustíveis da Capital. A reportagem de GaúchaZH circulou por vários estabelecimentos e poucos registravam filas — ainda que vários permanecessem fechados.

Leia mais
Sem espaço no "Jornal Nacional", Maju Coutinho faz previsão do tempo no Instagram
Abusos nos preços? Como proteger-se e não colaborar com a prática
Homem é baleado em fila de posto de combustíveis em Caxias do Sul

— Finalmente, né? Esperei o máximo que podia e imaginei que hoje, por ser feriado, seria tranquilo. Me dei bem — contou o engenheiro Paulo da Costa Silva, que conseguiu abastecer sem filas em um posto Ipiranga na saída de Porto Alegre, na região do aeroporto Salgado Filho.

A situação deve melhorar nos próximos dias, segundo João Carlos Dal'Aqua, presidente do Sulpetro, sindicato que representa os postos de combustíveis do Estado.

— Não tem como voltar ao normal de uma hora para a outra porque o caminhão precisar ir e voltar, da distribuidora ao posto. Mas a normalização está se encaminhando. Os veículos estão saindo das distribuidoras com menos tensão hoje — afirma.

No início da manhã, o movimento de veículos de distribuidoras na Refinaria Alberto Pasqualini, em Canoas, era intenso. Porém, além de levar tempo para reabastecer os mais de 250 postos da Capital, a demanda reprimida faz com que o combustível acabe em alguns estabelecimentos. 

A dica, para quem tem gasolina no veículo, é pesquisar um pouco: no começo do feriado, foi possível encontrar estabelecimentos sem nenhuma fila. Por volta das 8h, por exemplo, havia apenas cinco veículos abastecendo em um posto BR na Avenida Dom Pedro II, nas imediações da Avenida Cristóvão Colombo. Mais à frente, no entanto, na Avenida Salvador França, próximo ao Jardim Botânico, um posto da Rede Sim registrava cerca de 30 veículos na fila de espera. 

— Acho que não esperei nem cinco minutos e já consegui abastecer. Hoje está bem melhor — contou o comerciante Jair Figueiró, que conseguiu encher o tanque do veículo em um posto na Avenida Bento Gonçalves, no cruzamento com a Rua Coronel Vilagran Cabrita.

 O sindicato afirma que a prioridade na retomada de abastecimento é para os postos de Porto Alegre e Região Metropolitana, mas que estão sendo traçadas estratégias para que o interior do Estado também seja normalizado nos próximos dias. Conforme Dal'Aqua, nenhuma região da Capital será privilegiada: o abastecimento deve ocorrer de forma igual para todos os pontos da cidade.

Distribuidoras de combustível relatam que a entrega está acontecendo normalmente. Conforme a Unibraspe, cerca de 150 caminhões estão circulando — número normal durante os dias úteis. Por conta do desabastecimento, a empresa não fez feriado. 

A Sim Rede de Postos, com 127 unidades em operação em 44 cidades de Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, afirmou que os estoques estão sendo restabelecidos aos poucos. "Para voltar à normalidade, levaremos até sete dias em virtude da falta de anidro (substancia que é colocada na gasolina) nas distribuidoras", disse, em nota, a empresa.

De acordo com a Raízen, distribuidora da Shell, a situação deve ser normalizada nos próximos dias em todo o país. A reportagem não conseguiu contato com a Rede Vip 24h e BR distribuidora.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros