Falsas mensagens usando marca do Google dizem que o celular está infectado; veja o que fazer - Notícias

Versão mobile

 

Ataque cibernético24/05/2018 | 10h34Atualizada em 24/05/2018 | 10h34

Falsas mensagens usando marca do Google dizem que o celular está infectado; veja o que fazer

Usuários devem evitar clicar no link para não realizar o download do conteúdo mal-intencionado

Nas últimas semanas, mensagens dizendo que a bateria do smartphone está danificada ou que há um vírus naquele aparelho sendo monitorado pelo Google se tornaram comuns entre os brasileiros. A intenção dos hackers é que as pessoas instalem um aplicativo secundário ou que elas sejam direcionadas para um link mal-intencionado. 

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho 

Foto: Reprodução

De acordo com o levantamento da empresa de monitoramento PSafe, cerca de  56,9 milhões de ciberataques ocorreram nos três primeiros meses de 2018. Entre as ações comuns que geraram os ataques foram notificações falsas de aplicativos (65,5%), publicidade suspeita (14,3%) e notícias falsas (5,3%). 

As mensagens chegam por meio de publicidades e são geradas principalmente em sites adultos ou que permitem o download ilegal de séries, músicas e filmes. 


Como se proteger

Ao receber qualquer tipo de mensagem suspeita, a recomendação geral é fechar a janela. Se a página falsa exibir opções como "clique aqui" ou "ok" também é indicado que a pessoa tente fugir dos botões, encerrando a sessão daquela janela o quanto antes. Se possível, o usuário também pode ir no botão de "voltar" ou ir para a "home" do aparelho, fechando todas as abas abertas. 

— É muito fácil ser enganado por essas mensagens. Imagine a reação de pessoas mais velhas ao ler que o chip está infectado. A maioria não tem ideia de que não é possível infectar um chip —, explicou à Veja Emilio Simoni, diretor da Dfndr Lab, empresa atrelada ao estudo da PSafe.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros