Adiado anúncio do novo gestor do Hospital da Restinga  - Notícias

Versão mobile

 

Saúde07/06/2018 | 15h08Atualizada em 07/06/2018 | 15h09

Adiado anúncio do novo gestor do Hospital da Restinga 

Prevista para esta quinta-feira (7), a divulgação do nome da entidade foi adiada para o próximo dia 11

Adiado anúncio do novo gestor do Hospital da Restinga  Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Foi adiado para a próxima segunda-feira (11) o anúncio da entidade que gerenciará e operacionalizará o Hospital Restinga Extremo-Sul a partir de 1º de julho deste ano. A divulgação do nome do novo gestor estava prevista para esta quinta-feira (7). Porém, a Secretaria Municipal da Saúde, em publicação no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa),  informou que  a divulgação do resultado dos recursos e ranqueamento das propostas habilitadas ocorrerá no Dopa de 11 de junho, sem explicar o motivo. 

A instituição selecionada assinará termo de colaboração com a Secretaria Municipal da Saúde, com duração de 60 meses, já que o contrato com o Hospital Moinhos de Vento, atual administrador, termina em 30 de junho. Os critérios para o julgamento das propostas de trabalho foram avaliações técnica (70%) e financeira (30%), com análise de experiência, qualidade assistencial, proposta de fluxos assistenciais e de atendimento, valores financeiros e o plano de transição propostos para a ampliação dos serviços do hospital.

A gestão será compartilhada com o Moinhos até que o processo de transição esteja concluído. A população atendida pelo Hospital da Restinga não deverá ser afetada no período de transição. Continuarão sendo ofertados os serviços de internação e emergência 24 horas adulto e pediátrica, os exames de diagnóstico para a instituição e para a rede e as consultas de ambulatório nas áreas de infectologia e medicina interna. 

Leia mais
Prefeitura de Porto Alegre inaugura primeira Clínica da Família na Restinga
Prefeitura recebe quatro propostas para gerenciamento do Hospital da Restinga
Mudanças em gestão do Hospital da Restinga não devem afetar usuários

A previsão de orçamento está entre R$ 2,59 milhões e R$ 3,7 milhões. O edital prevê a abertura de uma Unidade de Tratatamento Intensivo (UTI), a ampliação do número de leitos do complexo de 62 para 111 leitos _ divididos entre pediátricos, adultos e UTI _, a criação de quatro blocos cirúrgicos, ambulatório e pronto-atendimento de traumatologia (aberto 12 horas por dia, seis dias por semana), e abertura de ambulatórios de infectologia, medicina interna, infectologia e urologia, além de uma emergência. 

Quanto aos exames, está prevista a oferta do exame de endoscopia, que ainda não é oferecido, e a ampliação da oferta das seguintes especialidades: análises clínicas, ecografia, mamografia, raio X, eletrocardiograma e tomografia. 

Transição

Conforme a atual administração do hospital, o Moinhos _ na gestão desde a inauguração, em julho de 2014 _ deixará o serviço devido a uma alteração na diretriz do Ministério da Saúde exigindo que o valor do PROADI-SUS seja aplicado a nível estadual. Hoje, as isenções dos impostos federais são repassadas todos os meses para manter a operação na Restinga _ ou seja, estão centralizadas no município. 

Outro fator alegado pela entidade é que o contrato firmado com a administração municipal no início do projeto encerra-se em 30 de junho de 2018. Neste caso, os prédios e os equipamentos para a operação de todas as áreas serão doados aos município de Porto Alegre. Por fim, há necessidade de ampliação dos serviços do hospital que não estão previstos no atual contrato. 

Hoje, 95% dos pacientes atendidos na instituição são do Extremo-Sul da Capital. Dos funcionários que atuam na instituição, 57% dos trabalhadores de nível técnico e médio são moradores da região. Isso foi possível porque desde o início do projeto Restinga, foram formados mais de mil alunos na Escola de Gestão em Saúde, fundada pelos gestores, sendo que diversos formandos foram admitidos para atuação no Hospital Moinhos de Vento e Hospital Restinga e Extremo-Sul. 


O que o hospital já possui

* Atendimento de emergência
* Internação pediátrica e adulta
* Exames laboratoriais e de Imagem
* Ecografia

O que virá com o novo contrato

* UTI
* Ampliação de exames para a rede de atenção primária (tomografia, ecografia, mamografia, exames laboratoriais, endoscopia digestiva alta e baixa, eletrocardiograma e raio X)
* Abertura de quatro salas cirúrgicas e ampliação dos ambulatórios de medicina interna, infectologia, traumatologia, cirurgia-geral e urologia.
* Com o acréscimo de 49 leitos aos 62 existentes, o hospital deverá oferecer 111 leitos de internação. 



 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros