Hospital da Restinga: UTI é prioridade - Notícias

Versão mobile

 

Saúde na Capital18/06/2018 | 17h29Atualizada em 18/06/2018 | 17h29

Hospital da Restinga: UTI é prioridade

Prazo para a Associação Hospitalar Vila Nova assumir a gestão foi prorrogado por até 90 dias

Hospital da Restinga: UTI é prioridade Lívia Stumpf/Agencia RBS
Uma das recepções do hospital Foto: Lívia Stumpf / Agencia RBS

A Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) deve ser o primeiro novo setor a ser implantado no Hospital da  Restinga  e Extremo-Sul, em Porto Alegre, a partir da chegada da Associação Hospitalar Vila Nova (AHVN), vencedora da  concorrência pública   para assumir a gestão no lugar o Hospital Moinhos de Vento. O prazo será divulgado conforme plano de transição, que começou a ser definido ontem, em reunião envolvendo os gestores e a Secretaria Municipal de Saúde. 

O Ministério da Saúde aprovou uma prorrogação do atual contrato do Moinhos de Vento por até 90 dias para que os serviços não sofram nenhuma interrupção e o novo gestor assuma de forma gradual, mas já implementando os novos serviços. Ainda nesta semana, deverá ser anunciado o cronograma de seleção dos funcionários que serão contratados pelo novo gestor. Haverá um detalhamento de quantitativo, forma de seleção e datas. Hoje, 341 colaboradores estão vinculados ao hospital. Destes, 57% dos trabalhadores de nível técnico e médio são moradores da região.

Leia mais
Mudanças em gestão do Hospital da Restinga não devem afetar usuários
Hospital Moinhos de Vento oferece 44 bolsas para curso de técnico de enfermagem 
Funcionários do hospital de Osório rejeitam proposta e permanecem em greve

A AHVN é a atual gestora do Hospital Vila Nova, com 411 leitos que atendem totalmente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Na Restinga, a gestão será realizada por meio de um termo de colaboração. Além da instalação da UTI, estão previstas a ampliação de 62 para 111 leitos _ divididos entre pediátricos, adultos e UTI _, a criação de quatro blocos cirúrgicos, ambulatório e pronto-atendimento de traumatologia (aberto 12 horas por dia, seis dias por semana), abertura de ambulatórios de infectologia, medicina interna, infectologia e urologia, e a ampliação de exames da rede primária _ com tomografia, ecografia, mamografia, exames laboratoriais, endoscopia digestiva alta e baixa, eletrocardiograma e raio X.  

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros