"Sim" coletivo em clima de emoção no Palácio da Justiça - Notícias

Versão mobile

 

Casório coletivo28/06/2018 | 21h56Atualizada em 28/06/2018 | 21h56

"Sim" coletivo em clima de emoção no Palácio da Justiça

Trinta e seis casais oficializaram a união nesta quinta-feira, na Capital

"Sim" coletivo em clima de emoção no Palácio da Justiça Lauro Alves/Agencia RBS
Depois de 18 anos separados, Luciana e Marcos se reencontraram e casaram Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

Entre sorrisos, beijos e buquês, ontem, 36 casais se tornaram oficialmente marido e mulher. A 15ª edição do Casamento Coletivo promovido pelo Memorial do Judiciário do Rio Grande do Sul, em parceria com a Corregedoria-Geral da Justiça e o Cartório da 1ª Zona, ocorreu na Galeria dos Casamentos do Palácio da Justiça. A tarde foi para realizar sonhos e concretizar no papel os encontros e reencontros, seja de muito tempo ou de quem está começando a vida a dois.

 PORTO ALEGRE - BRASIL - Casamento Coletivo no Palácio da Justiça.Luciana Schwarzbach e Marcos Figueiredo Lopes (FOTO: LAURO ALVES)
Luciana e o Santo AntônioFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

Os noivos foram recebidos na Galeria pela tradicional Marcha Nupcial. Entre eles, estavam a atendente Luciana Schwarzbach, 47 anos, e o porteiro Marcos Lopes, 51 anos. O casal se conhece há 30 anos, mas está mesmo junto há 12. A primeira vez que se viram foi em uma danceteria de Porto Alegre. Apenas trocaram olhares, já que os dois estavam comprometidos. E então, 18 anos depois, em 2006, se reencontraram e estão juntos até hoje, vivendo no bairro Belém Velho, na Zona Sul.

— Nunca casei, então, para mim, é uma emoção. Aquelas pequenas coisas que importam: o buquê, a caixinha do Santo Antônio, a tiara comprada — destaca a noiva, que levava a tiracolo uma caixinha com o Santo Casamenteiro e as alianças.


 PORTO ALEGRE - BRASIL - Casamento Coletivo no Palácio da Justiça. (FOTO: LAURO ALVES)
Anel na mão esquerdaFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

Também estavam trocando as alianças a concurseira Camila dos Reis e o vendedor Cassiano Cruz, de São Leopoldo, ambos com 30 anos. Estão juntos há oito anos, mas selaram a união praticamente em segredo. Não confidenciaram a ninguém que iriam se casar, nem mesmo aos pais. Apenas uma amiga estava lá para registrar o momento do casal que se conhece desde os cinco anos.

 PORTO ALEGRE - BRASIL - Casamento Coletivo no Palácio da Justiça.Camila dos Reis e Cassiano Cruz  (FOTO: LAURO ALVES)
Camila e Cassiano não avisaram familiares e amigosFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

Casório em família

Os irmãos Taís Oliveira, 35 anos, João Alves, 42, e Ana Cristina Barbosa, 47, de Porto Alegre, decidiram assinar os papéis de matrimônio com seus respectivos cônjuges no mesmo dia. E junto com os sobrinhos, e gêmeos, Cristina e Cristiano Oliveira, 29 anos. Os primeiros a inscreverem-se, e a incentivarem o resto da família a fazer o mesmo, foram João e Solange Rodrigues, 39 anos. Eles estão juntos há dois anos e meio e não casaram antes pela falta de recursos.

 PORTO ALEGRE - BRASIL - Casamento Coletivo no Palácio da Justiça. (FOTO: LAURO ALVES)
Família inteira se casouFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

— Casar era um sonho tanto meu quanto do João, então, para nós é uma grande realização _— conta Solange.

O casamento coletivo é destinado para quem não pode pagar os custos do casamento civil e não tem custo para os noivos. As inscrições foram feitas no Memorial do Judiciário do RS, no Palácio da Justiça. As informações para a próxima edição serão publicadas no site www.tjrs.jus.br.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros