Associação Hospitalar Vila Nova quer bloco cirúrgico no Hospital da Restinga funcionando em 21 de agosto - Notícias

Versão mobile

 

Saúde 27/07/2018 | 14h26

Associação Hospitalar Vila Nova quer bloco cirúrgico no Hospital da Restinga funcionando em 21 de agosto

Esta é a data para a troca oficial de gestão da instituição, que era administrada até agora pelo Hospital Moinhos de Vento


 PORTO ALEGRE-RS-BRASIL- 29/06/2016- Hospital da Restinga completa dois anos de funcionamento.  FOTO FERNANDO GOMES/ZERO HORA.
Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

A troca oficial de gestão do Hospital Restinga e Extremo-Sul, em Porto Alegre, será realizada em 21 de agosto. A data foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde da Capital. O Hospital Moinhos de Vento, atual administrador, deixará a instituição, que passará a ser administrada pela Associação Hospitalar Vila Nova (AHVN), responsável pelo Hospital Vila Nova. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

A partir daí, a prioridade dos novos administradores passa a ser o funcionamento integral do hospital, inaugurado há quatro anos, uma demanda histórica dos moradores da região.  Segundo o advogado da Associação Vila Nova, Paulo Fernando Scolari, a partir do dia 21, serão testados os equipamentos da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), que atualmente não é usada. A promessa é de que o bloco cirúrgico também estará disponível para uso já nesta data. O espaço, segundo Paulo, está completamente equipado. 

Orçamento
Hoje, o hospital tem 62 leitos. Após a transição, passará a contar com 111, incluindo os 10 leitos de UTI. O orçamento que a Associação Vila Nova terá para administrar o hospital, previsto em contrato, é de R$ 3,7 milhões por mês, com recursos municipais, estaduais e federais.

Confira todas as notícias sobre a Restinga

Funcionários
A nova gestão vai precisar de 450 a 500 funcionários. A primeira parte da seleção está sendo feita entre parte dos 354 funcionários do Moinhos de Vento que já atuam no local. A equipe será completada com uma seleção externa de profissionais da área da saúde. De acordo com Paulo, em dois dias, foram recebidos 6 mil currículos. 

Até o dia 10 de agosto, a Associação Vila Nova deve ter todos os profissionais selecionados. A contratação efetiva será feita dia 21.

Outra promessa é de que o laboratório próprio do hospital será utilizado, o que vai agilizar os diagnósticos. Será possível fazer tomografia, ecografia, mamografia, exames laboratoriais, endoscopias digestivas alta e baixa, eletrocardiograma e raio X. A nova direção, que ainda está sendo formada, avalia também a manutenção ou não dos atuais fornecedores da instituição.

Além da emergência, que funciona 24 horas por dia, será acrescentado um pronto-atendimento de traumatologia (aberto 12 horas por dia, seis dias por semana) com capacidade de fazer atendimentos de média complexidade.

Funcionamento a pleno em breve
Para o advogado da nova instituição administradora do hospital, a perspectiva é ter todos os serviços prometidos nos próximos três meses:

– Nossa expectativa é ótima, está todo mundo feliz. Queremos que as metas de funcionamento (que inclui índices de cirurgias, exames e uso de leitos) a pleno do hospital sejam alcançadas em até 90 dias. 

O plano de transição entre as duas administrações é de seis meses. A Associação Hospitalar Vila Nova foi a vencedora da concorrência pública  para assumir a gestão no lugar o Hospital Moinhos de Vento em junho deste ano.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros