As linhas campeãs de atraso em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

TRANSPORTE14/08/2018 | 07h00Atualizada em 14/08/2018 | 10h13

As linhas campeãs de atraso em Porto Alegre

Levantamento da EPTC mostra que as linhas B55, 340 e T3 têm o maior número de reclamações por atrasos em 2018

As linhas campeãs de atraso em Porto Alegre Félix Zucco/Agencia RBS
B55 é a linha que mais recebeu reclamações de atraso Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Mais de 4 mil reclamações. Este foi o número que a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) recebeu sobre os atrasos neste ano no transporte coletivo de Porto Alegre. Segundo um levantamento do órgão, a pedido do Diário Gaúcho, as linhas de ônibus com maior número de atrasos neste ano, conforme os usuários, são a B55 — Protásio/Humaitá, do consórcio Mob, com 106 queixas, a 340 — Jardim Botânico, operada pela Via Leste, e a linha T3, da Carris, ambas empatadas com 75 reclamações.

Demora

E os índices da EPTC se confirmam nas paradas de ônibus. No terminal Vila Safira, o açougueiro Roger Ferreira dos Santos, 27 anos, afirma que, recentemente, esperou quase uma hora pelo B55.

— Controlo a tabela pela internet, mas eles não respeitam o horário que tem no site — diz Roger.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 07-08-2018: As linhas de ônibus que mais registram ocorrência de atraso em Porto Alegre neste ano, a B55 e a Jardim Botânico (FOTO FÉLIX ZUCCO/AGÊNCIA RBS, Editoria de Geral).
Roger acompanha os horários pela internet, mas afirma que não são cumpridosFoto: Félix Zucco / Agencia RBS

Com a demora, às vezes, o açougueiro opta por pegar outro ônibus até a Avenida Protásio Alves, onde há opções com trajetos semelhantes ao B55.

A reportagem esteve dois dias da semana passada no Terminal Safira, nos turnos da manhã e da tarde, e os coletivos da linha B55 saíram pontualmente nos horários que constam no site da EPTC.

Já na Avenida Salgado Filho, a espera é longa e a fila cresce para pegar o ônibus que vai até o bairro Jardim Botânico. Segundo o site da EPTC, o tempo mínimo de intervalo entre as viagens do 340 é de 12 minutos, e o médio, 18. Mas os usuários relatam que, às vezes, esperam mais de uma hora pelo transporte.

Leia mais matérias do Diário Gaúcho

No dia que o Diário Gaúcho esteve no Centro, na semana passada, o ônibus atrasou 10 minutos, de acordo com a tabela do site. Porém, os usuários já esperavam havia cerca de meia hora. Além do que, logo após a partida do coletivo, outro ônibus da mesma linha chegou e partiu em poucos minutos.

Usuários reclamam

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 07-08-2018: As linhas de ônibus que mais registram ocorrência de atraso em Porto Alegre neste ano, a B55 e a Jardim Botânico (FOTO FÉLIX ZUCCO/AGÊNCIA RBS, Editoria de Geral).
Comerciante relata que os atrasos acontecem com frequênciaFoto: Félix Zucco / Agencia RBS

A comerciante Rosane Nascimento, 45 anos, que mora no bairro Jardim Botânico e pega com regularidade o 340 para ir até o Centro, já chegou a esperar 40 minutos na parada.

Leia mais
Ciclovia da Avenida Ipiranga tem novo trecho em construção
Porto Alegre já conta com espaços reservados para motociclistas nas sinaleiras
Ônibus da Carris serão pontos de coleta da Campanha do Agasalho de Porto Alegre

— Acontecem com frequência os atrasos. Às vezes, desisto e venho para o Centro de aplicativo, para não chegar atrasada nos compromissos — relata Rosane. 

Tiago Machado Soares, 32 anos, trabalha no Centro como vigilante e precisa pegar o Jardim Botânico para voltar para casa todas as noites.

— Sempre demora. Enquanto vêm três Orfanatrófios (ônibus do ponto ao lado), vem um 340. Já cheguei a esperar duas horas — reclama Tiago.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 07-08-2018: As linhas de ônibus que mais registram ocorrência de atraso em Porto Alegre neste ano, a B55 e a Jardim Botânico (FOTO FÉLIX ZUCCO/AGÊNCIA RBS, Editoria de Geral).
Linha 340 está entre as campeãs de 2017 e 2018Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Na parada há cerca de 20 minutos, a babá Roseli Bueno e a secretária Carmem Amaro, 49 e 47 anos, utilizam o T3 para irem trabalhar. A demora, elas dizem, é frequente.

— É muito ruim, demora muito. E de manhã cedo é lotado, quase não dá para entrar no ônibus — diz Roseli.

Segundo a tabela horária da EPTC, o tempo de espera entre as viagens é de 11 minutos em dias de semana. Informação que é contrariada pelas usuárias. 

— Já esperei 40 minutos para ir trabalhar. Sem falar, quando os ônibus não tem condições, são horríveis — queixa-se Carmem.

Empresas se defendem

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 07-08-2018: As linhas de ônibus que mais registram ocorrência de atraso em Porto Alegre neste ano, a B55 e a Jardim Botânico (FOTO FÉLIX ZUCCO/AGÊNCIA RBS, Editoria de Geral).
No centro, usuários esperam pela linha 340Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

A Mob, consórcio da linha B55, informa que, através da fiscalização e dos GPS colocados nos coletivos, houve um levantamento confirmando as reclamações e os atrasos nas viagens. Foram, então, realizadas alterações na operação, incluindo mais frotas de ônibus e mantendo a mesma tabela horária, o que deve contribuir para a solução do problema.

Já a Via Leste, operadora da 340, afirma que o coletivo é controlado pelo Sistema de Ônibus Monitorado Automaticamente (SOMA), da EPTC, que verifica a realização das viagens programadas. "Pelo sistema, a linha 340 - Jardim Botânico tem índices de 99% de viagens realizadas e cerca de 86% de viagens realizados no horário programado. Esses valores estão dentro da média possível para a cidade", reitera a empresa.

Segundo a Carris, que opera o ônibus T3, a linha tem índice de cumprimento de horários superior a 97%. "O T3 tem a característica de rodar longas distâncias em ruas que não dispõe de via exclusiva ou corredores de ônibus. Esse é um fator que torna a efetividade da operação dependente do fluxo do trânsito e que interfere diretamente nos índices de atrasos", afirma a empresa. De acordo com o canal próprio de atendimento da empresa, a linha foi a que mais recebeu reclamações por falha no cumprimento de horários, foram 25 queixas neste ano.

Fiscalização

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 07-08-2018: As linhas de ônibus que mais registram ocorrência de atraso em Porto Alegre neste ano, a B55 e a Jardim Botânico (FOTO FÉLIX ZUCCO/AGÊNCIA RBS, Editoria de Geral).
EPTC recebeu 4 mil reclamações de usuários sobre atraso dos ônibusFoto: Félix Zucco / Agencia RBS

Em 2018, a EPTC já realizou 3.062 autuações devido ao atraso dos ônibus. O valor da multa é de R$ 476,84 por viagem atrasada. Ao receber as reclamações, o órgão leva em conta o motivo da viagem atrasada ou não cumprida, para então autuar.

— Analisamos se houve algum evento para que a viagem não tenha ocorrido, como manifestações, acidentes de trânsito, alagamentos. Mas quando não existem anormalidades, há a autuação — explica o Gerente de Fiscalização de Transporte da EPTC, Luciano Souto.

Além das reclamações dos passageiros, a EPTC conta com uma equipe de fiscalização que trabalha diariamente nas paradas e nos terminais de ônibus para controlar o cumprimento da tabela horária.

Os números de reclamações em relação ao mesmo período do ano passado diminuiu: de janeiro a agosto de 2017 foram 6.229, já neste ano, 4.683. Luciano acredita que o trabalho realizado mensalmente entre a EPTC e as empresas de ônibus tem colaborado para o melhoramento das viagens. Nas reuniões, são tratadas as diversas reclamações dos usuários, entre elas a questão da tabela horária.

— Conseguimos em cima deste trabalho identificar pontualmente onde o problema está acontecendo e focamos em melhorar — afirma o gerente.

O ranking das reclamações

2017*
1°: 340 — Jardim Botânico (132 reclamações)
2°: 283 — Ipanema/Cavalhada (121 reclamações)

2018*
1°: B55 — Protásio/Humaitá (106 reclamações)
2°: 340 — Jardim Botânico e T3 (75 reclamações cada)
* De 1° de janeiro a 2 de agosto

Como reclamar

— As reclamações podem ser feitas pelos telefones 156 e 158 ou pelo e-mail eptc@eptc.prefpoa.com.br.

A EPTC pede que a reclamação contenha o horário, a linha atrasada e o local.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros