Magali Moraes e mais um Dia dos Pais sem ele - Notícias

Versão mobile

 

Coluna da Maga10/08/2018 | 10h00Atualizada em 10/08/2018 | 10h00

Magali Moraes e mais um Dia dos Pais sem ele

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e mais um Dia dos Pais sem ele Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Quase três anos sem meu pai. Daqui a poucos dias, chega o dia em que nos despedimos. Tomara que seja uma sexta-feira bem agitada no trabalho, e que eu nem tenha tempo de pensar. Mesmo com o passar dos anos, ainda abala. Acho que vai ser sempre assim. É como aquela expressão: aceita que dói menos. Algumas lembranças ficaram turvas. Outras ressurgem com perfeita nitidez. Vida que segue. De repente, vem uma vontade de comentar algo com o pai que não tá mais aqui. Daí a saudade derruba. 

Mas essa coluna não é sobre tristeza. É sobre a alegria de ter o pai vivo e poder abraçar, beijar, cuidar, amar, pedir colo, levar pra passear, ouvir conselho, contar piada, dar bom dia no WhatsApp, andar de bicicleta, mandar mensagem com emoji de coração, ganhar carona, comer a comida que ele fez, ligar agora mesmo, sentar do seu lado no sofá. Que vocês possam comemorar juntos mais um Dia dos Pais. Abraça o velho por mim. Diz que eu mandei um beijo!

Leia outras colunas da Maga  

Distância

Essa coluna é sobre a sorte de ter um pai presente. Eu tive, e aproveitei esse bilhete premiado. Talvez exista uma distância entre vocês (aquela que não se mede em quilômetros, mas em carências). Talvez exista um muro separando vocês (aquele que não é feito de tijolos, mas de silêncios). Talvez sentimentos ruins como a indiferença e a mágoa façam parte da história. Essa coluna também é sobre reconciliação, trégua, pedir desculpa, deixar pra lá. Depois bate o arrependimento. Melhor fazer logo as pazes.   

Quando estou escrevendo, seguido eu penso nele. Gosto de imaginar o quanto o pai ia curtir a coluna. Bah, ele seria o meu maior divulgador. Ia mostrar o DG pra todo mundo! Já contei aqui a nossa última conversa. "Pai!!! Vou escrever no jornal três vezes por semana!" Ele sorriu, faceiro por mim. Não conseguia mais falar. Nem precisou. Que esse domingo seja um dia de muito amor. O nosso também vai ser. Meus filhos têm um pai maravilhoso. Sorte a nossa.          


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros