Vai vender alguma coisa pela internet? Veja dicas para não cair no golpe do pagamento falso - Notícias

Versão mobile

 

Comércio eletrônico27/08/2018 | 10h38

Vai vender alguma coisa pela internet? Veja dicas para não cair no golpe do pagamento falso

Confira os cuidados que devem ser tomados para evitar ser vítima de fraude

Vai vender alguma coisa pela internet? Veja dicas para não cair no golpe do pagamento falso Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Todo cuidado é pouco ao fazer negócios online Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Internautas que utilizam sites de vendas para comercializar produtos novos ou usados têm sido alvos de estelionatários que se passam por clientes. Reclamações em blogs e em sites de queixas como o Reclame Aqui relatam diferentes tipos de golpes que afligem vendedores: o mais comum ocorre quando o farsante envia comprovantes falsos de pagamento para receber o produto. Muitas vezes, este envio ocorre por e-mail ou pelo WhatsApp e pode levar a cópia de logotipo de ferramentas como PayPal e PagSeguro. Quando há tentativa de golpe, o suposto comprador costuma pressionar o vendedor a despachar logo a mercadoria pelos Correios, antes que a farsa seja descoberta. 

Outro golpe que se tornou comum nos negócios online é o do boleto, quando o farsante envia o comprovante de pagamento anexado a um falso boleto.

Leia mais
Golpe do "cupom no iFood" alcança mais de 85 mil brasileiros em dois dias
Veja dicas para não cair na fraude da "carta de consórcio contemplada"
Fique atento: governo federal alerta sobre golpe contra segurados do INSS

– É importante que o vendedor confira com atenção a numeração do boleto, se é a mesma que foi gerada no momento do acerto do negócio. Também é importante checar se o dinheiro efetivamente entrou na conta quando o comprador anuncia o pagamento – sugere o especialista em segurança da informação Leonardo Lemes Fagundes, professor da Unisinos. 

Há até casos de clonagem de anúncio de veículos, que ocorrem quando o golpista entra em contato com o vendedor e pede mais informações sobre o carro, inclusive cópia do documento de circulação e número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Então, anuncia interesse na compra e pede que o anúncio seja retirado. Assim que isso acontece, o golpista coloca no ar um anúncio idêntico, com todos os dados do veículo, pedindo a eventuais interessados pagamento adiantado para segurar o negócio.

– Outra sugestão é conferir a reputação do comprador, para ver se ele já fez outros negócios no mesmo site e como foi avaliado – sugere Fagundes. 

Conforme a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), os principais alvos de golpe são vendedores de produtos e serviços de alto valor e de fácil revenda, como eletrônicos, jogos online, recarga de celular, ingressos de eventos. Resguardar os dados pessoais também é uma forma de reduzir risco de sofrer golpes. Quando algum farsante tem acesso à conta do vendedor em redes sociais, pode conseguir também a localização, idade, telefone e lugares que frequenta. E pode facilmente usar estas informações para plagiar anúncios ou até cometer extorsão. 

10 cuidados ao vender pela internet

1. Fique atento às informações que aparecem no site sobre o seu cadastro. Mostrar telefones pessoais, endereços e nomes de familiares pode alimentar o arsenal dos golpistas.

2. Atenção especial para produtos e serviços de alto valor e de fácil revenda, pois são os mais visados pelos fraudadores, como eletrônicos, jogos online, recarga de celular, ingressos de eventos e calçados. 

mão teclado
Prefira fechar negócio no site no qual fez o anúncioFoto: arquivo / Divulgação

3. Evite fechar negócio fora do site no qual fez o anúncio. As principais plataformas de negócios oferecem proteção para o vendedor, com identificação e reputação do comprador.

4. Se, ao fechar o negócio, for entregar o produto pessoalmente, marque o ponto de encontro em lugares movimentados. Se possível, vá acompanhado.

5. Mantenha sempre atualizados programas antivírus no computador, para evitar que um hacker acesse seu login em sites de venda, negocie em seu nome ou tenha acesso à sua carteira virtual. 

6. Para quem vende pela internet com alguma frequência, recomenda-se o uso de serviços de pagamento que façam a intermediação da venda, como Mercado Pago, PayPal, Moip, PagSeguro, entre outros, que reduzem o risco de fraudes.

7. Mantenha backup dos documentos mais importantes do seu computador, como comprovantes, notas fiscais e e-mails trocados com os clientes. Será uma forma de viabilizar uma eventual investigação quando houver tentativa de golpe. 

8. Esteja atento aos e-mails falsos de golpistas que podem se passar por clientes, representantes de banco ou de serviços de proteção de compra. Há alguns macetes para reconhecer e-mails falsos: preste atenção no endereço que aparece como remetente, se após o "@" realmente aparece o nome da empresa. 

9. As mensagens fraudulentas geralmente têm um tom de urgência. Pedem que a remessa da mercadoria seja feita imediatamente para que o pagamento seja liberado. Às vezes, estas mensagens comunicam que a empresa tem urgência em atualizar e/ou ampliar seus dados pessoais, na tentativa de captar número de cartão de crédito, login e senha do vendedor. 

10. Na maioria dos casos de fraudes, incluem links com aparência legítima, mas que direcionam para sites falsos. Verifique a URL do site que aparece no link do e-mail para ter certeza de que é o mesmo site que você está entrando.

Fontes: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), Mercado Livre, OLX e Leonardo Lemes Fagundes, professor da Unisinos e especialista em segurança da informação

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros